Você provavelmente não o conheça, nem se importa com a história dele, mas um cara de bom coração deu um pouco do seu tempo a ele.

Era apenas mais uma noite de quinta-feira quando Gabriel Trindade retornava pra casa depois de um dia de trabalho em Teresina (PI), contudo sua rotina mudou completamente ao se deparar com um senhor maltrapilho e faminto à porta de seu prédio. Ele poderia apenas ter ignorado o pedinte e seguido, porém, dedicou um pouco do seu tempo a ele. O homem lhe pediu o que comer e mostrava sinais claros de confusão; diferente de outras noites, aquela ele teve seu pedido atendido e Gabriel ouviu um pouco de sua história.

1656376_608007515945325_938844373_nO pedinte tinha um nome, Oscar Pereira do Nascimento, 46 anos, cortador de cana e natural de Araripina. Seu Oscar, como tantos outros, foi tentar uma vida menos difícil (por assim dizer) na capital piauiense; mas os planos não saíram como o previsto e ele acabou gastando as economias que levara, e com o passar do tempo tornou-se apenas mais um rosto na multidão, um sem nome. Até a noite de ontem!

Assim como fez o Anjo Mensageiro, Gabriel entrou em contato conosco e contou tudo que havia ouvido. Imediatamente, as medidas cabíveis foram tomadas e entrei em contato direto com a Secretária Executiva da Secretaria de Desenvolvimento Social, Ana Lúcia Rodrigues Lima Santana, relatando todos os detalhes que o Gabriel havia me contado por telefone e nesse momento foi dado início a busca pela família do senhor Oscar, um lampejo de esperança surgia para o pobre homem.

Apesar disso, a Secretaria de Desenvolvimento Social não é a única que pode ajudar o seu Oscar a voltar pra casa. Você, caro leitor, também é parte disso! Se já viu esse homem ou se conhece a mulher que ele diz ser sua mãe, dona Joana D’Arc Pereira do Nascimento, ou até qualquer pista que leve a encontrar um parente que tenha interesse em resgatá-lo dessa vida medíocre a qual vem vivendo durante longos cinco anos, entre em contato.

Ajude! Afinal, nós nunca sabemos o que nos aguarda amanhã!

Deixe um comentário

O que você achou disto?

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: