As noites de quarta-feira (19), foi quente na Casa Joaquim Pereira Lima, no município de Araripina, sertão de Pernambuco. Os vereadores utilizaram-se da bancada pra trocar farpas e fazerem acusações uns contra os outros, e novamente, o nome do Vereador e Líder do Governo na Câmara, Francisco Edivaldo, foi o alvo principal dos desafetos dos vereadores que tomaram da fala.

O mesmo usou de sua fala para se defender de uma acusação sobre um montante de seis milhões que teria sido investido em eventos culturais e festivos no município de Araripina, e esse mesmo montante serviu (e serviria), para custear, nas palavras do próprio Vereador e Líder do Governo na câmara, as festividades dos anos de 2014, 2015 e 2016. Afirmando, a seguir, a todos pulmões, que a referida licitação encontra-se na prefeitura onde a mesma serve como financiadora das festas e eventos do Município! Ao término de sua fala ele ataca a imprensa local dizendo “Eu quero pedir uma nota de repúdio aos vereadores que esse tipo de jornalismo… jornalismo que quer por palavras na boca das pessoas. Eu não admito! Eu não aceito!”.

Ao contrário de sua fala, e sem precisar voltar muito atrás, qualquer cidadão de Araripina sabe das inconstâncias que o município vem enfrentando quando o assunto é eventos festivos. Foi o Carnaval cancelado, a festa do Dia do Trabalhador também cancelada, dentre outros eventos que fazem parte do calendário festivo do município e foram descartado. Assim, vamos deixar uma interrogação aqui: se o montante de seis milhões é pra cobrir os eventos festivos de 2014 ATÉ 2016, por que a prefeitura deu notas de cancelamento de alguns eventos do calendário alegando não ter fundos para custear os mesmos?

Vamos acompanhar…

https://www.youtube.com/watch?v=aUuefCfIy4I

Publicado por Dyangellys Batista

Bibliotecário, Gamer, Geek e Baixinho!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.