UMA ESPECIAL HOMENAGEM AO PRECURSOR DA EMANCIPAÇÃO DE ARARIPINA

homenagem
Francisco Da Rosa Muniz (Chico Cícero)

Araripina está completando 81 anos de emancipação. Busquei nos anais da história dessa cidade, vários registros da sua luta em prol da sua independência. Talvez, nenhum tenha sido tão marcante como a luta de um dos seus pioneiros, que aqui faço o meu registro com muito respeito e profunda admiração.

Inicio este registro histórico com a seguinte mensagem:

Ao saudoso precursor da emancipação política de São Gonçalo, Francisco Da Rosa Muniz (Chico Cícero), os sinceros agradecimentos dos filhos de Araripina.

A população do povoado São Gonçalo sonhava com a sua independência. Entretanto a resistência do município sede Ouricurí era sempre maior; e acabava vencendo a força e os argumentos do povo do vilarejo. O tempo foi passando e as aspirações continuavam; embora, com remotas perspectivas.
Para alegria e contentamento de todos, surge um novo personagem na história da libertação do povoado. Seu nome: Francisco Da Rosa Muniz.
São Gonçalo, antigo distrito de Ouricuri, em momento algum perdeu esperança de que alcançaria a sua independência política, social e econômica. Haja vista, que o povoado agora, contava com a bravura, a luta implacável e a obstinação de um homem perseverante.
A dedicação do ilustre pioneiro, que se destacou com a sua luta incansável pela independência política do vilarejo São Gonçalo, distrito subordinado ao município de Ouricuri, foi a arma fundamental que contribuiu definitivamente, para o êxito da libertação de São Gonçalo do jugo daquele município.

Francisco da Rosa Muniz era dessas pessoas raras e especiais que merece o nosso respeito à sua memória e, acima de tudo, deve ser lembrado em qualquer época da existência de Araripina. A história de São Gonçalo que se emancipou com o nome de Araripina deve ser contada em versos e prosas; e repetida com orgulho e entusiasmo, para que os filhos da nossa terra conheçam a bravura de um líder determinado, solidário e fraterno. Cidadão que dedicou uma parcela da sua vida em prol da independência de Araripina.
Recentemente lendo pela enésima vez o livro do saudoso Francisco Muniz Arraes, “Araripina – História Fatos & Reminiscências” fiquei mais uma vez encantado com a dedicação e o empenho demonstrado pelo maior pioneiro que São Gonçalo abrigou, quando da sua jornada rumo à tão sonhada emancipação.
Com muita admiração enalteço FRANCISCO DA ROSA MUNIZ (Chico Cícero). Um herói, um pioneiro, um desbravador de obstáculos, um gigante de resistência aos infortúnios, um incansável batalhador por uma causa nobre. Eu tive a honra de conhecê-lo, o chamávamos carinhosamente de “Seu Chiquim Ciço”.
Cidadão de conduta ilibada, Francisco da rosa Muniz nasceu na cidade de Salgueiro – Pe no dia 12 de fevereiro de 1894, era filho de Coronel Pedro Cícero da Rosa Muniz e de Margarida Freire Muniz. Morou em Bodocó e em Ouricuri, onde exerceu várias atividades, entre elas, a política. Em 1917 mudou em definitivo para São Gonçalo. Era casado com Belmira Granja, de família tradicional de Ouricuri. Ambos construíram uma grande e respeitável família, que também participou da construção da nossa cidade.
Entre os feitos do inesquecível Chico Cícero cito aqueles que merecem destaques pela importância que representaram e pelas dificuldades que apresentaram quando da busca de suas conquistas.

1) Por ser um homem temente a Deus e um católico fervoroso tratou de reforma a capelinha da Vila São Gonçalo, com o intuito de oferecer mais espaço e conforto aos fiéis católicos do povoado;
2) Conseguiu a permissão para criação de uma paróquia para melhor atender às necessidades religiosas (casamento, batismo, missas e outras atividades);
3) Precursor do movimento político que deu origem à emancipação de Araripina (antiga São Gonçalo);
4) Foi prefeito de Araripina no período de 1932 a 1934;
5) Sua administração foi voltada para o ensino público;
6) Buscou através da atividade política, social e cultural, transformar o município de Araripina, numa cidade próspera e progressista. Hoje, seus habitantes acreditam e trazem consigo a marca registrada de grandes empreendedores que apostaram e apostam no desenvolvimento do município.
Termino este artigo com um bonito poema (parte) do nosso saudoso Francisco Muniz Arraes.
“Já não posso mais viver
Um passado tão distante.
Pois o tempo não garante
Dar a volta no querer.
E então, que vou fazer
Pra cumprir a minha sina?
Em silêncio, na surdina,
(Meu coração não é mudo…),
Tenho saudade de tudo
Que me lembra Araripina “.

Araripina – História Fatos & Reminiscências (Francisco Muniz Arraes).

Humberto Alves Bandeira

Publicado por Humberto Alves Bandeira

Sou filho de Araripina, tenho 62 anos de idade, sou casado tenho 03 filhos também casados, tenho u netinho chamado Mateus. Sou um apaixonado por Araripina e o Sertão do Araripe. Tenho um enorme prazer em fazer parte da equipe do araripina.com.br. o site expoente da região.

Participe da discussão

12 comentários

  1. Caro Humberto, Parabéns pelo ótimo texto e obrigado por tão felizes palavras que enaltecem a memória do meu querido Pai. Grande abraço do conterrâneo e amigo Nivaldo Muniz.

  2. Fiquei muito emocionado ao ver tanta coisa boa sobre a (minha)cidade de Araripina, onde vivi dos sete aos vinte e três anos. Parabéns aos organizadores deste site. Sinto muita saudade desta abençoada terra!
    Abraços a todos!

    Padre Anchieta (João Pessoa/PB.)

  3. Achei esta pequena página por mero acaso.

    Não conheço Arapina e tão pouco conheço muito pouco do Brasil (só conheço pequenas partes do estado de SP).

    No entanto, me interesso muito por história e pelas pequenas estórias à volta dela.

    Gostei muito desta página mas gostaria que contasse mais essas pequenas estórias deste pioneiro, sem tanta bajulação.

  4. Caro Humberto Bandeira,parabéns,sempre com lindas e emocionantes escritas sôbre nosso sertão e nossos ilustres queridos,que são milhares …..

  5. Gostei muito dessa pagina, e com certeza me deixou com saudades da minha terra araripina …lugar que tanto amo e que vou guardar sempre em meu coração…

  6. Ver essa estoria me fez recordar, os bons tenpos da minha pre-adolescencia, de quando trabalhei no cafe araripe e de tantos momentos bons que passei nessa minha maravilhosa cidade que vem crescendo dia apos dia…
    Com muita saudade …chico baião Mairipora _Sao Paulo…

  7. Parabéns Humberto, fico feliz em ler textos elucidativos sobre a minha querida terra, Araripina,apesar de morar distante, Araguaína-TO, mas sempre busco e procuro saber o que os nossos fizeram e fazem por nossa cidade. Parabéns!

  8. Humberto, está história resgatou-me minha infância onde brincava na praça da igreja matriz e que a casa do sr. Cicero ficava em frente. Um grande lider.

  9. Humberto Bandeira, cabra bom de bola. É muito gostoso se lê coisas interessantes de nossa terra (Araripina).Seu chiquinho cícero, foi uma das pessoas folclóricas de nossa c idade, como também um homem de muita personalidade. Lembro-me como se hoje fosse da puchada do bolso do paletó do pedaço de chifre que continha o torrado que ele tragava e dizia: agora vou tomar uma cachaça lá na bomba e depois em maximino. Parabéns Barreto-Crato-Ce.

  10. gostaria de adquirir um exemplar do livro: ARARIPINA historia fatos & reminiscencia de Francisco Muniz Arraes. Aguardo email, e preço do do referido. Leda

  11. Humberto, Quero parabenizar-lhe por tão importane depoimento sobre a nossa querida e gloriosa Araripina. Com o passar do tempo procuramos rever e entender nossos legados, como o que vc acaba de descrever: o desbravador, o homem público do maior quilate e tão desconhecido por todas as gerações que procederam. Sinceramente não sei como é o senhr FRANCISCO DA ROSA MUNIZ – um mito (que nós ainda adolecentes) convivemos, eu mais próximo ainda pq morava na rua XVI, não possui um busto em praça pública em sua homenagem mais que justa de nosso povo araripinense. Aqui vai a dica para a Câmara de Vereadores de Araripina.
    Um grande beijo. . . Zeca Braz

  12. Humberto,parabéns pelas linda palavras, fiquei muito feliz ao saber tantas coisas bonitas sobre minha família e minha cidade que amo tanto,como só tenho 15 anos não tive a honra d conhecer Seu Chiquinho Cícero mas conheço o filho dele Tio António(António Francisco Muniz) hoje com 86 anos que na verdade é meu tio-avô, ele é irmão da minha avó materna e sério eles são muuuito parecidos!Achei isso muito legal.
    Descobri essa site através de uma pesquisa para um trabalho de escola.Nessas pesquisas descobri também que meu pai Francisco Freire é descendente da família da minha mãe o que eu achei muito interessante em fim…Muito obrigado por me ajudar a descobrir um pouco da minhas raízes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.