Fotografias de 87 de paisagens do ecossistema da caatinga e do homem sertanejo estão reunidas no livro “A Natureza do Piauí”,do jornalista recifense André Pessoa. O objetivo da obra, fruto de mais de 20 anos de trabalho, é destacar a riqueza de uma região que é estigmatizada pela pobreza e subdesenvolvimento.

“A ideia do livro é mostrar que o Nordeste tem muita coisa a ser descoberta. É uma região extremamente rica com um potencial de ecodesenvolvimento”, explica o autor do livro. De um acervo de mais de 20 mil imagens, André Pessoa afirma que teve que fazer uma seleção criteriosa, com a proposta de impactar.

O escritor revela ainda que seu trabalho tem influência da arqueologia, mais precisamente por está próximo ao Museu do Homem Americano, localizado em São Raimundo Nonato-PI. A fotografia, afirma ele, é um caminho encontrado para registrar o trabalho feito por ‘mateiros’, ou seja, por pessoas que convivem com as adversidades do bioma e percorrem caminhos diversos pela mata. “Eles são decisivos para qualquer trabalho de pesquisa, seja científica ou por jornalistas, pois detêm um conhecimento que a ciência ainda não conseguiu explorar”, disse.

“Precisamos mostrar um Brasil desconhecido e desmistificar a ideia de que não há o que aproveitar na região. O livro mostra que o Brasil é muito mais rico do que se imagina, que os estados do Semiárido têm um potencial bem maior e com as imagens a gente pode tentar mudar a realidade, como já acontece em outros locais”, enfatizou André Pessoa.

dupla_paginas_2021
Caatinga (Foto: André Pessoa/Arquivo pessoal)

Lançado em cidades do estado do Piauí como a capital Teresina e São Raimundo Nonato, “A Natureza do Piauí” também teve sua divulgação em São Paulo e chega à Petrolina, no Sertão pernambucano, nesta quarta-feira (13). O lançamento acontece às 19h em uma livraria localizada na Avenida da Integração. “A escolha por Petrolina é que aqui é a porta de entrada para as paisagens naturais por causa do aeroporto. Petrolina é a porta de entrada do mundo inteiro”, destacou o jornalista.

Um segundo livro já está sendo preparado e tem previsão de lançamento em dezembro no município pernambucano. A nova edição com o nome de “Caatinga Selvagem” já em fase de conclusão e mostra o trabalho de resgate dos animais silvestres das obras de integração do Rio São Francisco e tem parceria com o Centro de Manejo da Fauna da Caatinga (Cemafauna) da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf).

Fonte: G1.globo.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.