O volume de água nos principais reservatórios do Sertão pernambucano está muito abaixo do ideal, segundo um levantamento divulgado pela Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac). A situação é grave em, pelo menos, 10 reservatórios que estão com volume próximo de zero e considerados em estado de colapso. Em algumas regiões, como a do Sertão do Araripe, as reservas somadas não chegam a 7% da capacidade total.

Petrolina é um dos municípios com situação mais preocupante. Dos quatro reservatórios monitorados pela Agência, o de Terra Nova está com 0,3% da capacidade total e os outros três, Pau Ferro, Soledade e Vira Beijú, estão zerados. O levantamento foi feito entre os dias 1º e 2 de julho.

Na região do Araripe, o reservatório de Algodões, no município de Ouricuri, é o com maior volume, 10.738.000 m³, mas que é equivalente a apenas 18,4% da capacidade total. A reserva do Cachimbo e Entremontes, ambas em Parnamirim, estão com 9,4% e 5,3%, respectivamente. Os mananciais em estado de colapso são Engenheiro Camacho (Ouricuri), Caiçara (Parnamirim) e Rancharia (Araripina). Este estudo foi realizado em diversos dias do mês de julho.

Ainda segundo o documento da Apac, outras quatro reservas estão em estado crítico, Abóboras, em Parnamirim, com 0% da capacidade, Boa Vista, em Salgueiro, com 7,8%, Nilo Coelho, em Terra Nova e São José, em Belém do São Francisco, com 0%, e Saco 2, em Santa Maria da Boa Vista, com 9,8%.

Participe da discussão

1 comentário

  1. e preciso que ao ser constatado os pontos de reserva seco tenha uma limpeza total para que quando as chuvas chegarem nao seja desperdiçada as aguas destes afluentes que abastece estes reservatoeios pois estao secando por estar intupido a anos sem contar que a população e maior

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.