Panorama político para 2013

Ao chegar o dia 1º de Janeiro de 2013 os novos representantes do povo Araripinense irão assumir suas funções no Poder Executivo e Legislativo.

Se não houver nenhuma alteração na lei das reeleições no Congresso Nacional, o prefeito Alexandre Arraes (PSB) terá somente quatro anos para cumprir as promessas de campanha, pois não poderá ser candidato à reeleição em 2016 em virtude de ter assumido a chefia do Poder Executivo local quando o prefeito Lula Sampaio (PTB) foi afastado em dezembro de 2011.

Com este cenário montado, além de Alexandre Arraes outras lideranças tentarão mostrar serviços para consolidar seus nomes para a disputa local. Porém em 2014 as eleições para Governador, Deputados Estaduais e Federais, além de um Senador da República darão a tônica dos grupos políticos.

O poder de influência do atual governador Eduardo Campos (PSB) não pode ser desprezado, portanto cabe aguardar o passo que o socialista dará em 2014 consolidando suas lideranças em todas as regiões de Pernambuco.

Para a cadeira na Assembleia Legislativa de Pernambuco os nomes que despontam como possíveis candidatos não são surpresa: Raimundo Pimentel (PSB) e Emanuel Bringel (PSDB). No plano federal o nome de Nunes Rafael (PHS) é o mais cotado. A região Araripe tem potencial para eleger tanto deputados estaduais quanto federais.

Em Araripina, após as eleições de vereadores a dúvida que paira no ar é quem será o presidente da Câmara. De acordo com o artigo 9 do Regimento Interno da Casa Legislativa após a posse dos vereadores eleitos, eles se reunirão para eleger a nova mesa diretora (Presidente, vice-presidente, 1º e 2º Secretários). O mandato terá duração de dois anos.

Por enquanto o que se tem são apenas especulações, até porque o vereador Boba Sampaio (PTB) está com sua votação sob judice, aguardando parecer do Tribunal Superior Eleitoral. Caso o TSE considere os votos de Sampaio, ele renovará o seu mandato para mais quatro anos e automaticamente o vereador eleito Genival da Vila (PDT) perde sua vaga.

Com o soma dos votos de Sampaio, o coeficiente eleitoral aumentará e retirará a vaga de Doval da Saúde (PCdoB) dando lugar a Silvano do Morais (PRB).

Por esta instabilidade jurídica ainda não é possível prever quem será o próximo presidente da Câmara de Vereadores. O nome que aparece com mais força é do vereador reeleito Luciano Capitão (PSB) que é o atual líder do governo. A futura oposição ao prefeito Alexandre Arraes liderada por Evilásio Matheus (PDT) encontrará dificuldades para eleger algum membro na mesa diretora, pois conta somente com 4 dos 15 vereadores eleitos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.