Assaltante fugitivo do Carandiru é preso na Serra de Simões

"Caveirinha" é especialista em fugas
"Caveirinha" é especialista em fugas

João Ezidio, conhecido como “Caveirinha” em São Paulo e na Serra de Simões por “Lacraia”,  foi preso ontem (07/06/09) pela manhã em mais uma operação coordenada pelo Delegado Farias, com o apoio dos Policiais Civis, Fred Maia (Chefe de Operação) e Sousa e os Policiais Militares, Roberto e Paulo. Na operação os Policiais passaram mais de 12 horas de campana, começando na madrugada e acabando ontem (07/06/09) pela manhã, quando conseguiram prender o assaltante.

“Já comunicamos o Delegado Geral, James Guerra Júnior, a respeito da prisão do assaltante que se encontra preso na Delegacia de Simões e ficará a disposição da Polícia de São Paulo” Del. Farias.

Segundo o levantamento feito pela INFOSEG, há três mandatos de prisão para “Lacraia” por assalto em São Paulo.

Vida criminosa do “Lacraia” (“Caveirinha”)

Em dados colhidos pela Polícia de Simões e repassados para equipe de reportagem do Portal SimõesNews, fomos informados que João Ezidio dos Santos nasceu no Pernambuco, morou em Simões e foi embora para São Paulo onde ficou conhecido como “Caveirinha do Carandiru”, lá ele estava preso no Pavilhão Oito do Carandiru, sua identificação era 167795.

“Em São Paulo ele praticou 157 (assalto a mão armada e roubo), trocando tiro com a ROTA. Nesse assalto ele roubou um carro Gol e por esse crime foi condenado a 4 anos e 3 meses”, informou o Delegado Farias.

Caveirinha foi preso numa operação que durou 12 horas
Caveirinha foi preso numa operação que durou 12 horas

Ainda segundo informações do Delegado Farias, “Caveirinha” conseguiu fugir do Carandiru, mas foi preso mais uma vez, no centro de São Paulo, na Praça da Sé, por praticar outro assalto. Ele foi condenado e enviado para Delegacia de Bom Retiro e depois transferido para Penitenciária de Colônia de Mamangua, em São Paulo, onde ele e outros presos fizeram um tatu (gíria policial que significa túnel) e conseguiram fugir. Isso em 2001.

Depois da fuga ele foi morar em Goiás. “Estamos levantando a sua vida pregressa junto ao DEIC de Goiás, para sabermos se ele tem passagem na Polícia goiana por algum crime praticado naquele estado.”, disse Farias.

Continuando, o Delegado Farias disse que depois da fuga “Caveirinha” voltou ao Nordeste e na Bahia tentou matar a irmã. Em Araripina-PE foi preso por ameaças ao Prefeito. Retornando ao Piauí ele foi morar em Marcolândia, onde é suspeito de participar de uma tentativa de homicídio e lá ainda trocou tiros com a Polícia. Depois disso ele voltou a Simões e foi morar na Serra do Inácio (divisa do PI com o PE) onde foi pego ontem (07/06/09), mais ou menos às 11h00min numa interação entre a Polícia Civil e Militar do Piauí.

O “Caveirinha” (“Lacraia”) é parceiro do Cegão (preso no último domingo pela Polícia de Simões, veja a matéria aqui) e do “Branco” que é foragido da Polícia.

“Aos poucos estamos desbaratando essa quadrilha na região”, finalizou Farias.

Uma operação com interação entre a PC e PM do PI
Uma operação com interação entre a PC e PM do PI

Simões, potência na produção de mel

Apicultor mostra seu apiário
Apicultor em seu apiário

A Equipe do SimõesNews (Portal de Notícias de Simões-PI) iniciou uma série de matérias especiais sobre as potencialidades da Região. Iniciando com Simões, foi publicado no Portal porque Simões ocupou no ano passado a 20ª (vigésima) colocação no ranking de produção de mel do Brasil.

“Na matéria especial sobre a apicultura de Simões, nós procuramos ser apicultores por uns dias, convivendo diretamente com os produtores, “batendo mel”, indo a apiários, sempre com conversas sobre o assunto.”, disse a Equipe de Reportagem do Portal.

A apicultura no Piauí vem sendo desenvolvida e sendo renda das famílias em muitas cidades. Na região, temos a cidade de Picos-PI como sinônimo de grande produtividade de mel. A casa APIS, localizada na cidade, é o local onde a maioria dos produtores da região recorre, tanto para venda do mel, como para a compra de equipamentos.

Em Simões existe uma Associação de apicultores apenas com 28 sócios. “Alguns dos sócios da Associação utilizam equipamentos emprestados. Trabalhamos com essa parceria, sempre ajudando uns aos outros, seja fornecendo equipamento, mão-de-obra, o que estiver a nossa disposição.”, comentou um dos associados.

Simões no ano passado surpreendeu a muitos, por ter sido o 20º (vigésimo) maior produtor de mel do Brasil. “Isso foi apenas um grande empenho dos apicultores de Simões. A região é muito grande, favorece muito a produção, o potencial é enorme, além de estar contribuindo para a preservação ambiental, gerando renda e emprego, não só para os apicultores, mais também para os donos de propriedades, uma vez que alugamos as suas propriedades para instalarmos os nossos apiários.”, disse Vicente Amorim, Vice-Presidente da Associação.

Segundo informações dos apicultores de Simões, o mel hoje representa 70% da renda anual de alguns deles. Na primeira colheita registrada esse ano, a Associação obteve uma média de produtividade de 12 toneladas. “Essa média foi obtida apenas com a “batida do mel” no sertão. O nosso forte é na Serra, provavelmente a nossa colheita lá irá ser o triplo do Sertão.”, disse o Presidente da Associação, José de Arimatéia.

Os apicultores de Simões “batem o mel” (extraem o mel das capas) em média 04 (quatro) vezes ao ano, sendo uma no sertão e três na Serra. No final da produção a média registrada é de três latas de mel por colméia, enquanto no estado é de apenas uma lata e meia.