CBF divulga numeração da Seleção na Copa do Mundo

Kaká ficou com a 10. Gomes deve ser o goleiro reserva.

A CBF divulgou nesta terça-feira a numeração dos jogadores da Seleção Brasileira para a Copa do Mundo na África do Sul, que começa no próximo dia 11 de junho. O camisa 10 será Kaká, e o 6 – provável lateral-esquerdo – Michel Bastos.

O goleiro Gomes, do Tottenham, ficou com a 12 – o que pode indicar a garantia de que ele será o goleiro reserva de Julio Cesar.

Confira a relação:

1 – Julio Cesar
2 – Maicon
3 – Lucio
4 – Juan
5 – Felipe Melo
6 – Michel Bastos
7 – Elano
8 – Gilberto Silva
9 – Luis Fabiano
10 – Kaká
11 – Robinho
12 – Gomes
13 – Daniel Alves
14 – Luisão
15 – Thiago Silva
16 – Gilberto
17 – Josué
18 – Ramires
19 – Julio Baptista
20 – Kleberson
21 – Nilmar
22 – Doni
23 – Grafite

Seleção Brasileira chega à África do Sul

Assim que chegaram à África do Sul, na manhã desta quinta-feira, alguns jogadores da seleção brasileira já começaram a sentir o clima de Copa do Mundo. Minutos depois que desembarcaram em Joanesburgo, o meia Kaká e o atacante Luis Fabiano postaram no twitter as suas primeiras impressões.

O voo com a delegação do Brasil pousou em solo africano às 7h10m (2h10m pelo horário de Brasília). Cansados, os atletas foram direto para o ônibus que os esperava no setor de carga. Sem contato com a imprensa e com os torcedores, o time de Dunga seguiu direto para o hotel. Na porta da concentração, alguns fãs aguardavam os ídolos.

– Acabamos de chegar. É clima de Copa – postou Kaká.

Luís Fabiano também estava bastante empolgado com o seu primeiro Mundial.

– Chegamos à África. Graças a Deus foi tudo bem. A Copa começou!

A quarta-feira será de repouso para o elenco. As atividades começam na sexta.

Brasil vence o Paraguai e se isola na liderança das Eliminatórias

O Brasil chegará nesta quinta-feira à África do Sul para disputar a Copa das Confederações na condição de líder isolado das Eliminatórias da América do Sul e a vaga praticamente garantida no Mundial 2010. Com gols de Robinho e Nilmar, a seleção brasileira derrotou o Paraguai por 2 a 1, de virada, em Recife, e chegou aos 27 pontos na classificação, sete a mais que o quinta colocado Equador, a quatro rodadas do fim da competição.

E enfim a equipe nacional voltou a vencer duas partidas seguidas pelas Eliminatórias, o que não acontecia desde 1993. O Paraguai, que era líder até o início da rodada dupla desta semana, caiu para a terceira colocação, com 24 pontos, atrás do Chile, que bateu a Bolívia em Santiago e chegou a 26.

A Argentina, que perdeu para o Equador por 2 a 0 em Quito, estacionou nos 22 pontos, em quarto lugar. E é exatamente a Argentina a próxima adversária do Brasil, no início de setembro, em Buenos Aires. Apesar do apoio da torcida e da confiança pela boa vitória de sábado passado sobre o Uruguai, o Brasil começou o jogo desta quarta de forma tímida, trocando a pressão esperada por chutes inofensivos de longe.

Até os 20 minutos, Robinho, duas vezes, Kaká, Elano e Daniel Alves já tinham arriscado da entrada da área – quando não ia para fora, parava facilmente nas mãos do goleiro Villar. Ainda assim, a seleção tinha o mérito de dominar o jogo e manter o Paraguai em seu campo. Mas aos poucos os visitantes foram deixando de lado o respeito pelo futebol brasileiro. E quando começaram a atacar, foram mais objetivos. Aos 22, o gordinho Cabañas deixou Juan sentado e deu ótimo passe para Martinez, que matou no peito e bateu de virada, assustando Júlio César.

Pouco depois, o sempre perigoso Cabañas levou vantagem novamente sobre Juan e sofreu falta na entrada da área. Ele mesmo cobrou, Elano tentou cortar e acabou enganando Júlio César: 1 a 0 Paraguai, aos 25 minutos. O Brasil sentiu o golpe e demorou a se organizar novamente em campo.

Até que, aos 40 minutos, Daniel Alves cruzou alto da direita, a bola atravessou a pequena área e chegou a Robinho, que bateu de primeira, com o pé esquerdo, empatando a partida antes do intervalo. A virada brasileira saiu logo no primeiro ataque do segundo tempo. Felipe Melo fez ótimo lançamento para Nilmar, que tentou o passe de peito na área.

A bola bateu na defesa e voltou para o camisa 9, que tocou por cima de Villar para fazer 2 a 1, aos quatro minutos. Com o Paraguai obrigado a se lançar à frente, o Brasil passou a explorar os contra-ataques. E foi então que sobressaiu a excelente fase de Kaká, que abusou da velocidade na ligação entre a defesa e o ataque.

Numa dessas jogadas, aos 12, o camisa 10 atravessou quase todo o campo, lançou Robinho e fez a ultrapassagem pela esquerda, mas o atacante do Manchester City preferiu o chute, por cima. Aos 27, Kaká arrancou novamente e só foi parado com falta por Cáceres, que recebe o cartão amarelo. Na cobrança, Daniel Alves quase marcou, mas a bola saiu à esquerda de Villar. O Paraguai, que pouco atacava, só voltou a assustar aos 34, de novo com Cabañas, que entrou na área pela esquerda só que dessa vez bateu cruzado, para fora.

O Brasil continuou atacando mas perdeu seguidas chances com Robinho, Daniel Alves e Kaká. Gols perdidos que não fizeram falta no fim Da Agência O Globo

Dunga faz nesta quinta a principal convocação em seus três anos no cargo

O técnico Dunga fará nesta quinta-feira uma das mais importantes convocações nos quase três anos em que está à frente da seleção brasileira. O treinador vai anunciar na sede da CBF a lista de jogadores para as partidas contra Uruguai (6 de junho) e Paraguai (10 de junho), pelas Eliminatórias, e para a disputa da Copa das Confederações (de 14 a 28 de junho). Com a base da equipe formada, Dunga deverá aproveitar o longo período de treinos e jogos – quase um mês – para começar a fechar o grupo que vai ao Mundial de 2010.

Por isso, para os jogadores que ainda sonham com uma chance na equipe de Dunga, esta é uma das últimas oportunidades de mostrar serviço. No gol, por exemplo, a ausência forçada de Doni, lesionado, abre vaga para um candidato à reserva do titular absoluto Júlio César, e possível terceiro goleiro na Copa. E opções não faltam a Dunga, tanto no Brasil, como Bruno (Flamengo), Felipe (Corinthians) e Victor (Grêmio), quanto no exterior, casos de Helton (Porto) e Diego Alves (Almería), ambos já convocados pelo treinador.

Outra possível ausência é do lateral-direito Maicon, do Inter de Milão, também por contusão. Dono da posição no time de Dunga, o camisa 2 abriria espaço para o técnico fazer novos testes. Rafinha (Schalke 04) e Leonardo Moura (Flamengo) já passaram pela seleção com Dunga, mas salvo uma queda acentuada de rendimento ou problemas de lesão, a dupla para o Mundial deverá ser Maicon e Daniel Alves, do Barcelona. Na outra lateral, Kleber e Marcelo têm se revezado no time titular, mas ainda não se firmaram na posição.

Para a zaga ainda há vagas. Dupla titular na Copa de 2006, Lúcio e Juan ainda são os homens de confiança de Dunga, mas a briga será boa para o banco de reservas, entre Thiago Silva (Milan), Miranda (São Paulo), Luisão (Benfica) e Alex Silva (Hamburgo).