Alunos protestam pela falta de transporte público escolar

Nem o forte sol na manhã dessa quinta-feira (27), impediu que uma numerosa quantidade de alunos das redes públicas municipal e estadual fossem a porta da Prefeitura Municipal de Araripina, no sertão de Pernambuco, protestar pelos seus direitos! Munidos de apitos, cartazes, megafones e uma voz de clamor pedindo atenção a sua situação, eles se manifestaram de maneira totalmente pacífica!

Sob os gritos de Ladrão!, os alunos gritaram a porta da Prefeitura e ameaçavam invadir o prédio. Organizados pelos Grêmios Estudantis de algumas escolas, os alunos chamaram atenção a sua delicada situação: ausência do transporte escolar, gerando uma dificuldade em sua locomoção – lembrando que em sua maioria, esses alunos são residentes da zona rural do município – até as unidades escolar que se encontram dentro do município; assim, prejudicando o ano letivo e inviabilizando o translado dos mesmos.

Com direito a música de protesto e ânimos elevados, eles cantaram e exigiram, também, merenda de qualidade – lembrando que algumas escolas estão sem dispor da mesma aos seus discentes. Com gritos de duras críticas a atual Gestão e exigindo que o pagamento do transporte escolar fosse realizado, eles exigiram uma atitude a situação que vivem.

https://www.youtube.com/watch?v=05YbkbeEFZQ&feature=youtu.be

Até a conclusão desse texto, nenhum funcionário da prefeitura havia saído para conversar com as lideranças da manifestação.

 

Em protesto, professores reúnem-se em frente à Praça da Igreja em Araripina

Professores estaduais em greve fazem manifestação em frente a Praça da Igreja, em Araripina, Sertão de Pernambuco, professores protestaram na manhã de hoje (23),Os protestos reivindicação é o cumprimento da Lei do Piso Salarial, que garante o reajuste de 13,01% a todos os professores e não apenas aos profissionais com nível médio.

De acordo com o coordenador regional do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Pernambuco (Sintepe), Robson Nascimento, apesar da determinação do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) em aumentar a multa diária de R$ 30 mil para R$ 80 mil por descumprimento de suspensão da greve, a mobilização continua.

Como parte do calendário de mobilizações, um grupo de 40 representantes destes municípios no Sertão irão para Palmares, no Agreste do estado, acompanhar a agenda do governador, Paulo Câmara, no Seminário Todos por Pernambuco. Na segunda-feira (27) uma assembleia irá discutir os rumos da mobilização.

 

Ato Público reivindicando o cumprimento da Lei do Piso Nacional em Ipubi

Ontem (15), uma nova manifestação dos professores da rede pública estadual teve marco no sertão do Pernambuco. Dessa vez, a cidade de Ipubi, há aproximadamente 50 kms de Araripina, também no sertão do Estado, levou seus professores e alunos condescendentes da causa dos docentes a rua de maneira a exigir e chamar a atenção para o aumento ilusório que foi concedido a categoria pela Governador do Estado.

Os docentes que foram as ruas, em sua maioria do EREM Arão Peixoto de Alencar, reivindicaram em Ato Público e pacífico o cumprimento do Governador do Estado de Pernambuco, Paulo Câmara, a Lei do Piso Nacional que o mesmo vem se negando a cumprir desde o último dia 10 além de intimidar a categoria com ameaças de corte do ponto dos servidores. Na última terça-feira (14), os professores de Araripina estiveram nas ruas protestando e levando a público a situação atual a qual os professores da rede pública estadual estão sujeitos.

Atualmente, a Greve dos Professores do Estado de Pernambuco já conta com uma adesão de aproximadamente 80% do efetivo e os alunos, em sua maioria, estão prestando seu apoio aos professores de maneira a fortalecer as manifestações que vem acontecendo em todo o Estado – do sertão a Capital. Hoje (16), já conta-se dez dias desde a paralização dos docentes. A categoria exige que o Governador Paulo Câmara cumpra a promessa de que dobraria o salário dos educadores.

Professores da rede pública estadual de Araripina vão as ruas exigir reajuste salarial

Na manhã de hoje (14), os professores da Rede Pública Estadual de Araripina, Sertão de Pernambuco, estiveram realizando grande manifestação pacifica em prol dos seus direitos prometidos pelo governador do estado de Pernambuco, Paulo Câmara. A categoria exige do atual governador do estado, um reajuste real e não o humilhante – como a própria categoria coloca – valor de 0,89% a qual o mesmo entregou.

Além disso, os professores querem que o reajuste seja real e a todos os professores não apenas aqueles com o antigo Magistério, a qual o Piso Salarial acoberta. Nessas medidas, os professores da Rede Pública Estadual de Ensino saíram as ruas juntamente com alunos e pais de alunos condescendentes da situação e levantando a bandeira da causa em prol de melhorias não apenas aos professores, mais as Unidades de Ensino, aos alunos e a toda comunidade educacional do sertão até a Capital.

O movimento contou com a coordenação do Sintepe de Araripina, e passeou pelas principais ruas e avenidas da cidade de forma a conscientizar a população e pra limpar a ideia que muitos possuem de que professor entra em greve pra ficar em casa dormindo. E que não, que professor, como qualquer outro profissional realiza ações como essa de maneira a buscar melhorias a categoria.

Abaixo, você pode conferir nossa galeria de imagens do evento:

 

No link a seguir, ouça a fala de alguns professores:

 

Professores da rede estadual podem paralisar atividades por tempo indeterminado

Os professores da rede Estadual de Ensino do Estado de Pernambuco podem declarar greve por tempo indeterminado. A decisão será discutida em assembleia geral marcada para ás 15h desta sexta-feira (10), no Clube Português. 
Nos dias (08 e 09), a categoria cruzou os braços em uma paralisação de advertência de 48 horas. De acordo com a Secretaria Estadual de Educação, 612 unidades participaram do protesto. No primeiro dia de mobilização, quase 60% das escolas estaduais fecharam, total ou parcialmente. 
Na semana passada, o projeto de lei aprovado pela Assembleia Legislativa (Alepe) garante que 13,01% seja aplicado a profissionais com nível médio (antigo Magistério) e 0,89% a professores com licenciatura plena e menos de dez anos de serviço na rede. De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco, o reajuste deixa de fora 45.750 professores. “A medida rasga o Plano de Cargos e Carreira da categoria. O Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe) cobra o cumprimento da Lei do Piso Salarial (11.738/2008) estendendo o reajuste a todo o conjunto dos professores e não só a uma parte dela”, informou o sindicato através de nota oficial.

A paralisação foi aprovada em assembleia na sexta passada.