A Natureza em Agonia

Todos os dias rigorosamente às 07:30 horas da manhã eu caminho em volta do Parque Vaca Brava em Goiânia (Go) durante uma hora e trinta minutos (01:30 ms). Faço isto pela necessidade de cuidar da minha saúde (mente sadia em corpo sadio) e pelo prazer de viver em harmonia com a natureza. Ando o equivalente a nove km. Confesso também que sou incentivado a esta caminhada, graças à beleza, a arborização e a qualidade do ar que se respira neste maravilhoso presente da mãe natureza.

Hoje, comemoramos o dia mundial do meio ambiente, não posso deixar de registrar a minha preocupação com os desmandos e as violentas agressões direcionadas ao meio ambiente. Não sei até quando poderei me levantar e ir ao encontro da Mãe natureza, manifestada através da majestosa beleza do imponente Vaca Brava.

O assunto que domina as atenções em todo mundo é a agressão ao meio ambiente, causando sérios danos ao planeta terra, inclusive comprometendo num futuro próximo a extinção de muitas espécies, hoje seriamente ameaçadas pela destruição causada pelo homem.

A emissão acelerada de gases poluentes, a devastação desenfreada das florestas, a contaminação dos nossos rios com substâncias químicas, a poluição sonora que tantos transtornos causam à saúde humana e as explorações ilegais do solo têm criado um estado desesperador ao planeta, que começa a dar sinais de cansaço, de exaustão e de perdas irrecuperáveis. Pouco se tem feito para minimizar esta triste realidade.

Tudo Isto tem sido motivo de grande preocupação. Devemos nos conscientizar que o planeta está agonizante. Não podemos permitir tamanho desleixo, tamanha barbárie. Se nenhuma atitude for tomada de imediato, muito em breve estaremos vivendo em um planeta sem a qualidade de vida que hoje ainda temos; e que poderá não ser mais possível a sobrevivência com um mínimo de qualidade de vida  aos nossos futuros irmãos.

Humberto Alves Bandeira