“É um bem necessário!”, afirma Capitão Guerra sobre a ocorrência de Blitz na cidade

Na manhã de hoje (06), esteve presente em uma rádio local, um representante da Polícia Militar de Araripina, no sertão de Pernambuco, para falar ainda sobre toda a ação que aconteceu nos cinco dias de festejos juninos na cidade e também da importância de monitoramento e policiamento pelas ruas da cidade.

O Capitão Guerra exprimiu o prazer de realizar um serviço em prol da comunidade Araripinense e deixou claro que mais que um serviço, é uma obrigação o serviço prestado pela Polícia Militar na cidade. Lembrou das dificuldades em realizar o monitoramento em toda cidade devido sua extensão geográfica, mas salientando a existência de rondas que estão atribuídas a zona rural da cidade, de maneira a preservar a integridade dos povoados e distritos que compõem a cidade.

Por fim, o mesmo colocou-se à disposição da comunidade para qualquer necessidade que possa vir a surgir, lembrando também da importância da realização das blitz na cidade, onde as mesma visam uma abordagem que conscientize e eduque a população, sobre as regras de transito e os tramites para melhor utilização de proteções, cinto de segurança e não ingestão de bebidas alcoólicas.

Confira a fala do Capitão Guerra, da Polícia Militar abaixo:

https://www.youtube.com/watch?v=ecjRj-1nmqw&feature=youtu.be

Josias Inojosa, presidente do SINDUSGESSO, comenta sobre a operação Pedra Branca que efetuou prisões e apreensões no dia ontem

Após o dia de ontem (17) e a deflagração da Operação Pedra Branca, uma parceria entre Secretaria da Fazenda, Polícia Civil e Militar, onde aconteceram nove prisões e mandados de busca ainda continuam ativos em diligencia para encontrar outros suspeitos; o dia de hoje veio para apuração dos fatos. Os mandados de prisão foram expedidos pela Delegacia de Combate aos Crimes contra a Ordem Tributária (Deccot).

Na manhã de hoje (18), tivemos a oportunidade de falar com o Presidente da Sindusgesso – Sindicato da Industria do Gesso do Estado de Pernambuco, o senhor Josias Inojosa Filho e na ocasião ele nos deu alguns esclarecimentos sobre o acontecimento e mencionou pontos importantes para que tais situações não tornassem a acontecer, além de se posicionar como Presidente do Sindicato da Industria do Gesso do Estado de Pernambuco.

O senhor Josias Inojosa Filho contou que o conhecimento que a Sindusgesso tem sobre o referido assunto era o que estava sendo noticiado em jornais e veículos midiáticos locais, e que estava aguardando uma nota oficial do delegado encarregado, em entrevista a ser concedida em uma rádio local, para de fato conhecer a situação como um todo. E com pesar lamentava o episódio caracterizando-o como importuno, e que essa não seria a primeira vez que tal fato acontecia na região, mas só então tendo notoriedade na imprensa regional e estadual. Falou também sobre os desvios, empresas fantasmas e da competitividade entre as empresas, onde as fantasmas teria uma vantagem sobre as demais por não pagar os impostos e tributos igualmente as demais. Deixou claro que faz-se sim, necessário a presença mais ativa da Secretaria da Fazenda numa constante e não apenas em visitas esporádicas que nada resolvem; além da ideia de que a Secretaria da Fazenda, educasse os empresários do gesso contra essa competitividade injusta e desleal que acomete e favorece acontecimentos como o ocorrido no dia de ontem.

Ele conclui que essas visitas das Secretaria da Fazenda não resolvem o problema, apenas assusta momentaneamente os que atuam na irregularidade e que passado o susto inicial volta a acontecer novamente; que o correto seria um veículo fixo efetivo estadual da Secretaria da Fazenda na região para auxiliarem o desenvolvimento de ações em equilíbrio e ajudar os empresários nessa ampliação.

E você? O que achou da operação Pedra Branca?

Novas Viaturas Policiais e Cidadania…

Tenho andado no centro de Araripina e vejo uma mudança muito boa no que concerne à presença de viaturas policiais novas na cidade, tanto da Polícia Civil quanto da Militar. Espero que as viaturas continuem por aqui, pois Araripina é uma cidade de porte médio e de um promissor desenvolvimento, principalmente nas áreas de serviços, comércio e hotelaria, já tendo um parque industrial consolidado na área de mineração.

Infelizmente, onde há desenvolvimento, circulação de riquezas, também a violência tende a aumentar. Esse é um fator negativo inexorável   que infelizmente acompanha o desenvolvimento urbano de qualquer cidade brasileira. Por isso, a necessidade de um aparato de segurança pública bem aparelhado (moderno) e presente no sentido de dissuadir os infratores da lei a não cometerem delitos atraídos pelas riquezas que a cidade pode oferecer. A população aumenta, os problemas crescem também na mesma proporção.

Com relação às motos da ROCAM são ágeis e podem chegar com rapidez para coibir o crime. Quando morava em Arcoverde, por exemplo, não entendia como uma cidade menor que Araripina possui um  Batalhão da PMPE, muitas viaturas da PC e da Militar e Araripina, industrialmente mais potente, carecia de viaturas para o trabalho digno e eficiente dos componentes da segurança pública.

No que diz respeito ao não uso de cinto de segurança por parte de quase a totalidade dos motoristas de Araripina, não entendo como falta de educação do povo ou afronta às autoridades, mas um costume contra legis que vigora espontaneamente por quase toda a população. Eu mesmo, com sinceridade, costumava andar sem cinto de segurança na área urbana, colocando-o apenas quando ia para a BR. Mas, como o costume muda o costume, e o bom costume disciplina, orienta, ensina e educa, passei também a usar o cinto de segurança também dentro da área urbana de Araripina, mesmo que os outros achem tolice ou besteira da minha parte. Por quê o cidadão também não pode fazer a sua parte para levantar a corrente dos bons costumes na cidade?  o Governo Federal, Estadual e Municipal são obrigados a fazerem a sua parte, mas a população pode e deve, também, exercer sua cidadania ensinando e propagando a civilidade em seu próprio bem e do desenvolvimento de seu município.

Sandro Moraes.

Diminui casos de acidentes, mortos e feridos durante o São João

Os números de acidentes, mortos e feridos durante o São João deste ano sofreram uma significativa redução em relação ao ano passado. A avaliação foi feita esta manhã, pelo assessor de comunicação da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Éder Rommel, durante a divulgação do balanço da Operação São João. Desde a sexta-feira passada  até a zero hora desta quinta-feira foram contabilizados 120 acidentes, quando em 2008 foram somados 142. O número de feridos caiu de 89 para 59 e o de mortos, de oito para seis.

“Acreditamos que essa redução puramente ao empenho do efetivo e à distribuição das equipes nos pontos chaves. Quase todo o efetivo foi lançado no campo, somando 500 homens envolvidos na operação. Para se ter uma idéia, uma equipe foi levada para Araripina, acampou no posto policial durante toda a festividade, sem folga, e foi responsável pela autuação de 29 pessoas, que foram presas por dirigirem embriagadas. “

Tomamos essa medida porque nas operações passadas eram registradas  um grande número de ocorrências naquela localidade, geralmente esquecida, com mortes, envolvendo principalmente motocicletas”, avaliou Rommel.

Durante toda a operação, das 1.494 autuações já registradas, 49 dizem respeito à Lei Seca. Segundo a PRF, o número deve crescer significativamente, uma vez que ainda não foram contabilizados os casos de abuso de velocidade, que chega a somar mil ocorrências por dia.

Durante os últimos seis dias, a fiscalização nas rodovias federais de todo o país foi reforçada para diminuir os riscos de acidentes e dar mais fluidez ao tráfego. Em Pernambuco, contaram com atenção especial a BR 101, na região metropolitana do Recife, a BR 232, trecho entre Recife e Caruaru, a BR 104, no perímetro urbano de Caruaru e a BR 408, entre Recife e Carpina.

Para monitorar as onze BRs que cortam o estado, o que totaliza 2,4 mil km, a PRF contou 60 viaturas e um helicóptero, para socorrer vítimas graves de acidentes de trânsito, radares fotográficos e 25 etilômetros, para ajudar na fiscalização de excesso de velocidade e embriaguez alcoólica.

Acidentes – Esta manhã, dois acidentes foram registrados na BR-101. Dois caminhões de carga, um levando cimento e outro transportando refrigerantes, viraram na pista, deixando o trânsito lento. Não houve feridos. Na terça-feira, por volta das 10h, o veículo Honda de placas KLV-2231 colidiu com a moto de placas KSZ-0488, na BR-232, na altura do município de Bonança, deixando duas pessoas feridas. Na noite do sábado passado, um acidente entre a veraneio de placas JTS 3090, da Paraíba, e um ônibus de placas KGB 2251, na PE-292, deixou cinco pessoas mortas e outras 10 feridas. No mesmo dia, no início da manhã, a colisão entre um carro e um caminhão deixou dois mortos e um ferido na PE 53, nas proximidades de Lagoa de Itaenga.

Fonte: http://www.diariodepernambuco.com.br/vidaurbana/nota.asp?materia=20090625100623

Da Redação do DIARIODEPERNAMBUCO.COM.BR