Obra com conclusão atrasada, em Nascente, pode ser inaugurada

A Quadra Poliesportiva, em Nascente, foi uma das obras fiscalizadas pelos vereadores Camila Modesto, Doval da Saúde, Deval Régis e Luciano Capitão, presidenta da câmara, e está com previsão de ser inaugurada em breve, pela Prefeitura Municipal de Araripina.

A quadra, que é investimento do Governo Federal, com recursos do FNDE, de R$ 500.000,00 “está na fase final de acabamento”, segundo a gestão, e “a população aguarda ansiosa para desfrutar dessa grande aquisição para o distrito, que servirá não somente para à pratica de esportes, mas para diversos tipos de evento” (de acordo com informações no site da prefeitura), está com prazo de conclusão atrasado, assim como outras obras, na sede, sítios, serras e distritos.

A população espera que não só essa obra seja finalizada, mas todas as outras que se encontram com data de conclusão ultrapassada, para que os cidadãos possam usufruir das instituições.

Gestor de Araripina lança candidato, mesmo com denúncias ao Ministério Público

Na última semana, vários comentários e matérias a respeito de obras inacabadas na cidade, com recurso do Governo Federal tiveram repercussão, depois que os vereadores Doval da Saúde, Camila Modesto, Deval Régis e o presidente da câmara, Luciano Capitão realizaram fiscalização nessas obras, e enviaram relatório para o Ministério Público em Salgueiro.

Os vereadores que fiscalizaram as obras, assim como a população, querem uma satisfação do prefeito a respeito dos recursos, que segundo assessoria, está em conta, mas o legislativo quer ver esses extratos, para saber realmente o que está acontecendo, já que algumas das obras, inacabadas são citadas na Operação Paradise.

Mesmo com todas as denúncias ao Ministério Público, com todas as notícias em torno da má administração do gestor de Araripina, esse lançou seu pré candidato a prefeito do município, e consequentemente, “seu sucessor”, na noite de ontem, sexta feira, 29.

Após o vereador, Tião do Gesso, também ter dito, em entrevista, em rádio da cidade, que o prefeito não estava lhe apoiando, entrou em contradição, pois ele, é, realmente, o candidato do prefeito, o que foi anunciado na noite passada em evento de posse do diretório do Partido Solidariedade 77.

 

 

 

 

Saiba a função do Carro de Fiscalização da Câmara de Vereadores de Araripina.

No dia 26 de abril, conversamos com o presidente da Câmara de Vereadores de Araripina, Luciano Capitão, sobre o Carro de Fiscalização e qual a finalidade desse carro, usado pelos vereadores, que está a disposição das duas , mediante ofício à mesa diretora.

O Carro de Fiscalização surgiu de um projeto da Câmara de Vereadores de Araripina, em 2015, cujo recurso foi de economia feita pelos vereadores, para que viesse ajudar o trabalho da câmara, no sentido de fiscalização.

O trabalho de fiscalização é feito através de denuncias da população, que tem problemas nos bairros, nas escolas do município, de infraestrutura.

Após a fiscalização, os vereadores levam toda a demanda para a câmara. Segundo o presidente da câmara, Luciano Capitão, eles (vereadores) não resolverão os problemas, mas farão a parte deles: enviar  através de requerimento, para a Prefeitura Municipal de Araripina.

O carro foi utilizado, nos últimos dias, para inspecionar as obras do Governo Federal, onde dezesseis dessas obras fazem parte da Operação Paradise, e dentre essas, apenas uma pronta e três funcionando. O restante das obras, paradas, abandonadas, com tempo de término totalmente ultrapassado, onde a maioria deveria ter sido concluída em junho de 2014, mas o desmando com o dinheiro público é visível, acrescentou Luciano.

O presidente disse ainda que isso os preocupa, pois esses problemas já foram enviados para o executivo, e eles percebem a falta de preocupação por parte do gestor. “O tempo está passando, e essas obras estão ficando para o próximo gestor, e dessa forma a nova administração pode ser prejudicada”, disse o presidente.

Os vereadores estão encaminhando toda documentação ao Ministério Público, para que este tenha um posicionamento, fazendo com que o gestor atual conclua as obras, pois quem perde é a população.

Foi perguntado ao presidente da câmara sobre a desculpa que o gestor dá pela não conclusão das obras, o que foi respondido que não se tem nenhuma resposta do prefeito, porém o líder do governo diz que esse dinheiro (das obras) está nas contas, e ficou de mostrar o relatório com os extratos das contas, porém, até aquele momento não havia chegado às mãos dos vereadores, nenhum extrato e que fica a indagação:  “se o dinheiro está nas contas, por que não se conclui as obras”?

 

Obras abandonadas pela gestão de Araripina são fiscalizadas pelos vereadores.

 

Os vereadores de Araripina, Luciano Capitão, Adeval Régis, Doval da Saúde e Camila Modesto realizaram nesta segunda feira, dia 25, fiscalização de algumas obras do Governo Federal, na cidade.

Os vereadores realizaram visitas às obras de escolas, principalmente onde o Governo Federal fez investimentos, porém, algumas obras se encontram com apenas 5% de conclusão.

Quem repassou as informações para o site araripina.com.br, foi Adeval Régis, que nos recebeu na Câmara de Vereadores, e acrescentou que o vereador é a pessoa eleita pelo povo para cuidar do bem e dos negócios do povo em relação à administração pública, ditando as leis necessárias para esse objetivo, sem, contudo, ter nenhum poder de execução administrativa, mas, de fiscalizar e é isso que (ele, Doval, Camila Modesto e Luciano Capitão – presidente da câmara) estão fazendo: o Vereador tem o poder e o dever de fiscalizar a administração, cuidar da aplicação dos recursos, a observância do orçamento. Também fiscaliza através do pedido de informações.

No dia 25, os vereadores fiscalizaram quatro obras que estão paradas, e nos deram informações de cada uma das obras, bem como o andamento e o valor do investimento.

Adeval Regis iniciou falando da Escola municipal da Batinga, que devia ser entregue à população no dia 25/06/2015, com um valor de R$ 1.013.200,61 (um milhão, treze mil e duzentos reais, e sessenta e um centavos), que segundo o vereador “a mesma se encontra abandonada e o mato tomando de conta, em mais um descaso do prefeito com o dinheiro público”.

Mais uma obra inacabada é a quadra poliesportiva da Escola Eduardo de Sousa Carvalho, projeto que diz que a quadra coberta, com vestiário, e prazo para entrega 22/12/2014, no valor de R$ 509.864,19 (quinhentos e nove mil, oitocentos e sessenta e quatro reais e dezenove centavos) “Mais uma obra que caiu no esquecimento do prefeito, e hoje só resta a angústia e a certeza do abandono que vive o nosso município”, enfatizou  Adeval. O vereador ainda diz que acha que a obra não está com 5% feita.

Outra obra fiscalizada foi a Escola da Serra do Ipa. Deval nos afirmou que essa é a obra mais adiantada e que seria possível sua inauguração ainda nessa gestão, no entanto, pela quantidade de pessoas que estão trabalhando, ele (Deval) não sabe se isso pode acontecer.

A Escola José Clementino, da Serra do Moraes, que conforme Deval é a que se encontra em pior situação, pois a obra é muito mal feita e não garante que a mesma fique de pé.

O vereador nos fala também da Escola Honorato Jordão, na Ponta da Serra, escola com projeto muito bonito, mas é uma pena está abandonada, e que talvez a empreiteira não tenha mais interesse em construí-la, pois alguns materiais foram retirados de lá, e isso leva a entender o desinteresse por parte da empresa, em terminar a obra.

A Escola do Sítio Alho, deve ter em torno de 8% a 10% de obra construída, com prazo para ser entregue em 2015.

Na escola do Cavaco, a situação não é diferente, o que deixa os moradores chateados, já que até as grades foram arrancadas, o que significa também que a empresa não tem interesse em concluir a obra. Adeval completa: “Fico me perguntando como é que o gestor, podendo está usufruindo dessas obras, todas com recurso do Governo Federal, infelizmente não teve a capacidade de administrar esses valores para servir a toda a população”.

Todas essas escolas são citadas na Operação Paradise, e nenhuma concluída. Apenas a Escola do Marinheiro que teve a obra concluída, quando na verdade poderiam ser feitas as inaugurações de todas.

Além das escolas, há ainda a construção de quadras poliesportivas, nos distritos, além da Creche da Vila Serrânia (falta em torno de 5% para a conclusão), obra que vem da gestão passada, bem como a Creche de Lagoa do Barro, que não foi dada continuidade na construção.

O vereador Adeval Regis contou a situação de abandono em que se encontram essas obras, assim como a obra da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), com valor em R$ 2.194.302,61 (dois milhões, cento e noventa e quatro mil, trezentos e dois reais e sessenta e um centavo) e comentou que fica muito triste, pois a conclusão depende de alguém que não está preocupado com isso, e que com relação aos valores, tem que ser feita uma investigação para se descobrir o que foi feito com esse dinheiro, e parece que “a única preocupação da gestão é que o governo termine, para que o gestor possa sair fora”.

Vereador Luciano Capitão entra com mandato de segurança contra gestor municipal

Mais uma ação contra a prefeitura de Araripina: Prefeito do município além de não pagar salário dos aposentados e pensionistas,  não repassou o duodécimo, que é o valor que o Poder Executivo repassa para a Câmara Municipal de Vereadores para custear as despesas, valor definido pela Constituição Federal, que consiste nas transferências constitucionais e recursos próprios, do ano anterior, e por esse motivo o presidente da Câmara, Luciano Capitão, entrou com mandato de segurança, hoje, no fórum para que o gestor fizesse o pagamento.

Ao chegar no fórum, não havia ninguém que pudesse assinar o mandato.

Na segunda feira, dia 25, o presidente da câmara irá protocolar junto ao ministério público. Vamos aguardar mais novidades a respeito do assunto e das outras ações contra o gestor.