Para você mãe jovem, mãe idosa

 A mãe aguerrida é absoluta, adora os filhos e protege a família. Ela se agiganta diante de todos. No seu âmago estão impregnados os sentimentos prazerosos de ser mãe e a imensa alegria de ter filhos para dar carinho, atenção, segurança e amor.

 

Mãe é aquela figura central, insubstituível, maravilhosa e incomparável, segundo a ótica dos filhos. Com o passar do tempo, a supermãe envelhece, os filhos ficam adultos, constroem novas famílias e adotam novas atitudes. A mãe guerreira sente o peso da idade e já não tem mais a energia e a mobilidade física de outrora. Ela se transforma numa pessoa menos ativa, mais exausta, mais lenta nas suas ações, menos solícita e mais solitária.  

 

Diante desta constatação passamos a questionar.  Quem dará segurança, quem cobrirá de carinhos e proteção, aquela que distribuiu afetos e muita paz, enquanto jovem e cheia de saúde?

 

Na ótica dos mortais, quando envelhecemos deixamos de ser úteis. É assustadora a afirmação, mas, é a pura realidade. Lamentavelmente, ao ficarmos idosos passamos a ser um estorvo, um fardo. É deplorável, contudo está constatado que o ser humano é oportunista e egoísta.

 

Para minimizarmos o efeito dos absurdos cometidos criamos com a astúcia dos meios de comunicações e dos interesses comerciais, O DIA DAS MÃES. Neste dia a MÃE é o máximo, é o centro das atenções, é venerada, é cantada em versos e prosas, é homenageada por todos e de todas as formas.

 

 Não podemos negar a realidade nua e crua do ser humano. Somos todos egoístas e ingratos. Por isso, MÃE, você não tem um dia especial, você tem uma vida especial, você é absoluta. Devemos parar, refletir e garantir que você é a querida MÃE JOVEM em qualquer circunstância e em qualquer tempo da nossa vida.

 

 

Que Deus continue iluminando as nossas MÃES.

 

 

Humberto Alves Bandeira