Alunos protestam pela falta de transporte público escolar

Nem o forte sol na manhã dessa quinta-feira (27), impediu que uma numerosa quantidade de alunos das redes públicas municipal e estadual fossem a porta da Prefeitura Municipal de Araripina, no sertão de Pernambuco, protestar pelos seus direitos! Munidos de apitos, cartazes, megafones e uma voz de clamor pedindo atenção a sua situação, eles se manifestaram de maneira totalmente pacífica!

Sob os gritos de Ladrão!, os alunos gritaram a porta da Prefeitura e ameaçavam invadir o prédio. Organizados pelos Grêmios Estudantis de algumas escolas, os alunos chamaram atenção a sua delicada situação: ausência do transporte escolar, gerando uma dificuldade em sua locomoção – lembrando que em sua maioria, esses alunos são residentes da zona rural do município – até as unidades escolar que se encontram dentro do município; assim, prejudicando o ano letivo e inviabilizando o translado dos mesmos.

Com direito a música de protesto e ânimos elevados, eles cantaram e exigiram, também, merenda de qualidade – lembrando que algumas escolas estão sem dispor da mesma aos seus discentes. Com gritos de duras críticas a atual Gestão e exigindo que o pagamento do transporte escolar fosse realizado, eles exigiram uma atitude a situação que vivem.

https://www.youtube.com/watch?v=05YbkbeEFZQ&feature=youtu.be

Até a conclusão desse texto, nenhum funcionário da prefeitura havia saído para conversar com as lideranças da manifestação.

 

Com os contratados sem pagamento, alunos do ERJIO temem serem colocados à limpar escola

Nem bem quinze dias se passaram desde que os alunos da Escola Técnica Estadual foram as ruas reivindicar por melhorias na escola e pela permanência de uma professora que estaria sendo perseguida pela gestora daquela unidade de ensino; hoje (22), alunos de outra escola estadual, dessa vez o ERJIO – Josias Inosoja de Oliveira, estiveram na rádio para reclamar e prestar apoio aos funcionários que prestam serviços gerais na escola e que estão, segundo os próprios alunos, com seus vencimentos atrasados há mais de três meses.

Os alunos lembram que em anos anteriores, aconteceu caso semelhante quando na ausência de pessoal para realizar a limpeza da escola, os próprios alunos foram obrigados a estarem realizando as funções que cabiam a administração da escola. Eles colocam, também, que das várias escolas estaduais existentes no município de Araripina, no sertão de Pernambuco, a Escola de Referência em Ensino Médio Josias Inojosa de Oliveira, seria a única unidade de ensino onde o serviço não seria terceirizado, e os responsáveis pelo serviço de limpeza em geral são contratados.

A indagação maior dos alunos, que revoltados querem explicação, é o motivo daquela unidade de ensino apresenta um dos melhores índices educacionais em todo o município e ainda assim o quadro de professores precisar se articular, muitas vezes com recursos próprios para poder realizar o seu trabalho dentro daquela unidade? Por fim, os alunos, lembraram que tentaram insistente vezes falar com a senhora Maria Juscileide Lopes de Alencar, Gestora da GRE – Gerencia Regional de Educação, que seria a portadora da voz final para a solução dessa situação incomoda que se segue na escola de referência. De um lado os alunos aguardam e complacentes a situação dos contratados que estão há três meses sem receber; do outro, aqueles que podem fazer algo parecem não se importar, infelizmente.

Ouça abaixo a entrevista dos alunos do ERJIO sobre a situação:

https://www.youtube.com/watch?v=6wv6F989Kh8&feature=youtu.be

Vamos acompanhar…

 

Araripina necessita regularização do transporte escolar

Após denúncias sobre a qualidade do transporte escolar em Araripina, Bodocó e Trindade, no Sertão do Estado, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) fez uma recomendação aos municípios para a melhora do serviço prestado aos alunos. No documento consta que o serviço independe da distância entre a escola e as residências, além do número de estudantes atendidos.

“As três cidades apresentaram problemas. Entre as denúncias mais comuns estão a falta do transporte, o sucateamento dos veículos, motoristas sem habilitação e a superlotação”, explica o promotor de Justiça, Manoel Dias da Puri?cação Neto.

Ainda de acordo com o promotor, o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) e o Corpo de Bombeiros das cidades devem realizar avaliações dos veículos nos próximos dias. As prefeituras irão encaminhar ao MP o comprovante do cumprimento ou a explicação em caso de descumprimento do fornecimento do transporte no prazo de cinco dias.

Também deverão ser apresentados, em até dez dias, as empresas contratadas que farão a prestação dos serviços. Em caso de adesão de veículos próprios, a aquisição também deverá ser informada ao Ministério Público. “Caso essa recomendação não seja cumprida, poderá ser instaurado um inquérito civil público, bem como ação civil pública ou outras ações de cunho administrativo e judicial”, informou o Manoel Dias.

O G1 entrou em contato com as prefeituras, mas até o momento não obteve resposta.

Fonte: G1.globo.com

A difícil missão do novo prefeito de tirar Araripina da letargia.

A vitória de Alexandre Arraes à Prefeitura de Araripina não foi apenas o triunfo dos méritos do candidato do PSB nem a força política de Eduardo Campos. A vitória sufragada nas urnas foi também a vitória do protesto e da raiva do povo de Araripina à situação caótica administrativa em que está atolada a cidade. Município mais rico do Araripe pernambucano (porque existe o Araripe cearence também), Araripina desponta como uma cidade próspera e rica, tanto pela natureza que brota de sua terra quanto pela pujança de seu poder econômico. Porém, o município sertanejo parece que não tem sorte quando o assunto é gestores públicos.

Para não ser leviano e está apontando o dedo para os últimos mandatários do Executivo municipal, há muito tempo a cidade não tem um prefeito que honre a tradição de cidade mais rica da Região do Araripe. O povo de Araripina já está cansado de tantas falcatruas noticiadas pela Imprensa. Não aguenta mais a presença da Polícia Federal atrás de políticos malversadores do erário público. O povo se encheu das notícias de desmandos no município, de que a Controladoria Geral da União apontou que a merenda escolar foi desviada. De que os recursos da educação não foram aplicados como estatui a Constituição Federal. Não tolera mais notícias de que verbas federais se diluíram feito cibalena em copo de água e que o Tribunal de Contas da União enquadrou A ou B pelo desvio de recursos públicos. Do mesmo modo, a população está de saco cheio com notícias de que o TCE/PE conjuntamente como o MPPE estão na cidade fazendo devassas nas contas municipais.

De agora em diante, a população do município só espera que o próximo prefeito aperte o acelerador de sua gestão para devolver à cidade anos e anos perdidos com maus gestores que só pensam no seu próprio benefício e de seus clãs e deixaram a cidade entregue às baratas. Não sejamos hipócritas! O caos administrativo de Araripina não remonta a três anos, mas a longevos 30 anos!

O calçamento da cidade não pode ver chuva que se desmancha feito sorvete, porque só colocaram areia e esqueceram de misturar com cimento. Os sinais de trânsito só vivem queimados pondo em risco transeuntes e motoristas na cidade. A bagunça de motos, vans, ônibus escolares e demais transportes coletivos transformaram Araripina numa Torre de Babel. Ninguém respeita paradas proibidas e entradas de garagens particulares. Os foras-da-lei se acham no direito de constranger o cidadão de bem e ditar suas ordens. Carros de som de madrugada perturbam o sono de doentes nos hospitais e casas de saúde.

Arcoverde, porta do sertão de Pernambuco, menor do que Araripina, é, por exemplo, um modelo de gestão pública ordeira e que coloca ordem na casa. Sem muito estardalhaço, suas ruas são limpas e sem buracos, a iluminação pública é eficiente, os sinais de trânsito funcionam, avenidas perimetrais existem várias embelezando a cidade, câmeras de circuito de TV foram instaladas nas suas principais ruas para inibir a violência e a ação de meliantes e vândalos, a zona azul já está em pleno funcionamento com o que há de mais alta tecnologia para multar quem não respeita as leis de trânsito. E porquê em Araripina isso não ocorre? Porque, infelizmente, os gestores públicos que comandaram a cidade por muito tempo nunca pensaram no bem-estar da população, mas no seu próprio e de seus aliados.

Alexandre Arraes! Que em 01 de janeiro de 2013 sua administração abençoada por Deus represente o desenvolvimento de Araripina para que seja devolvida à cidade de mérito o título que sempre ostentou: a capital do Araripe. Boa sorte na sua difícil empreitada!!!

SANDRO MORAES
JORNALISTA

EDUCAÇÃO E CULTURA

EDUCAÇÃO E CULTURA
Lemos menos livros em 2011 do que em 2010. A queda foi de 6%. A ida a cinema e a casas de espetáculos musicais caiu 4% e 3%, respectivamente. Um aumento de 2% foi registrado no item referente a teatro. A conclusão é de pesquisa da Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro. Os pesquisadores ouviram 1.000 pessoas em 70 cidades brasileiras. Das 55% pessoas que disseram não estar nem aí com a cultura, 72% preferem ver televisão e 20% comer churrasco em casa. 15% seguem o caminho da igreja, 11% o do futebol e 8% enchem a cara nos bares. E aí? Sem educação ninguém vai a canto nenhum, no máximo corre o risco de se estufar comendo carne etc., virar rato de igreja ou um alienado pela bola. Isso é futuro?