Estelionatarios usam Araripina de fachada para aplicar golpe milionário.

Dois estelionatários aplicaram um grande golpe usando a cidade de Araripina como fachada e uma empresa que funcionava no centro da cidade e tinha o nome de Agrosil – Comércio Atacadista de Produtos Alimentícios e Agrícolas Ltda. A empresa funcionava na Rua Ana Ramos Lacerda e já fazia mais de nove meses que estava funcionando normal.

Os estelionatários Eduardo Oliveira Falcão de 51 anos (foto), que residia à Rua José Modesto, centro da cidade e seu sócio, Dorival Medeiros de Souza de 68 anos, o qual residia à Rua Cel. Pedro Cícero, também no centro de Araripina, são acusados de dar um rombo de mais de R$ 2.500.000,00 (Dois Milhões e quinhentos mil reais), em várias empresas e vendedores de Araripina, de outras cidades e outros estados.

Somente na segunda e terça-feira desta semana, cerca de 30 vendedores que foram lesados, prestaram queixa na delegacia e comunicaram o fato, pedindo providências para o caso, pois após o golpe, a dupla fugiu com várias mercadorias que foram vendidas pelas vítimas.

Confira algumas empresas lesadas pelos estelionatários: Vitarella, Arroz Pilão, Vinho São Brás, Arroz Rezeni, Arroz Urbano, Pilar, Fortaleza, Sabão Barra, Tambaú, Yoki, 51, EBD, Mauricéa, Arroz Recife, Minuano, Friboi, Bonomilho, Olé, Bunge, Parmalat, Alpanor, Havaiana, Quilombo, Açúcar Bezerrense, Cardeau, Atacadão, Arroz Panelaço, Tecnekar, Arroz caçarola, Pitú, Desodor-Suiça, Sadia, Perdigão, Bradesco Real, Francisco Torres-Boa Sorte, Golden Nutricion, Postos de gasolina e concessionárias de Araripina, dentre outros.

polícia ainda não tem pistas dos estelionatários, que guardavam todas as mercadorias em um depósito na Rua Ana Ramos Lacerda e Também na ICOASA. Segundo alguns vendedores que não quiseram se identificar, várias carretas estacionaram na semana passada durante à noite na ICOASA, pegaram as mercadorias e sumiram sem deixar pistas. Outra informação de outro vendedor é que o prejuízo será descontado na folha de pagamento dos mesmos e alguns já foram demitidos de algumas empresas. Outro vendedor afirmou que o golpe vai passar dos 3 milhões de reais. O caso foi registrado na DEPOL.