470f31ca5dff5ac1838b90ea00168d76
(imagem da internet)

O grupo formado pelos partidos PSL, PRP, PHS, PSDC, PTdoB e PRTB oficializaram, na última quarta-feira (29), a criação de uma frente para disputar as eleições deste ano, denominada G-6. Segundo o presidente estadual do PHS e pré-candidato a deputado federal, Belarmino de Souza, o objetivo da junção é proteger as pequenas siglas dentro do cenário estadual. “Não estamos contra ou a favor de ninguém. Nosso objetivo é apenas para proteção do grupo”, ponderou.

Sertão do Araripe representado

O Sertão do Araripe, microrregião mais carente do estado quando falamos em representatividade política, uma vez que não tem nenhum deputado federal, não poderia deixar escapar essa oportunidade de ter uma candidatura competitiva, e a pré-candidatura a deputado federal de Nunes Rafael (PHS), é essa oportunidade do Araripe eleger seu representante na Câmara Federal e deixar de ser apenas uma “escada” para políticos de outras regiões do estado.

Em novembro durante plenária estadual a candidatura de Nunes, foi colocada como prioridade do PHS de Pernambuco, segundo as palavras do presidente estadual Belarmino Sousa e nacional Eduardo Machado. É importante lembrar na eleição de 2010 Nunes obteve quase 15 mil votos para deputado federal.

Eleição para o governo

Embora as legendas integrem a base de apoio do Governo Estadual, ainda não há definição sobre quem apoiar para governador. Presidente nacional do PSL e também pré-candidato à Câmara Federal, Luciano Bivar garantiu não haver pressa na decisão de alianças majoritárias. Diante da indefinição do PSB quanto à cabeça de chapa, o dirigente disse que o G-6 não pode ficar à mercê dos socialistas. Daí não descartar a possibilidade de o grupo lançar chapa majoritária. “Eles que decidam a vida deles”, desconversou.

Segundo Bivar, a meta é eleger bancadas federais e estaduais. “O grupo vai formar uma força independente em Pernambuco. Serão escolhidos dentro de cada partido candidatos que representem maior força de votos para concorrer. O foco maior é para deputado federal e todo processo será debatido dentro da frente”, ressaltou. A pretensão do G-6 é lançar uma chapinha para eleger dois ou três deputados federais e sete ou oito estaduais. Para isso, prevê somar 550 mil votos com a junção dos candidatos dos seis partidos – PSL com 385 mil, PSDC com 40 mil, PRTB com 100 mil, PHS com 120 mil, PRP com 60 mil e PTdoB com 45 mil.

“Não é uma estimativa puramente especulativa, é, em tese, o que já foi provado realmente nas urnas”, assegurou Luciano Bivar. “Sozinho nenhum partido elege ninguém, juntos somos fortes”, advertiu o presidente do PRTB, Ednázio da Silva. “Quem sair do grupo estará cometendo suicídio, isso serve para qualquer um dos seis partidos”, acrescentou Belarmino Souza. Atualmente, o novo bloco tem dois prefeitos, um vice, um deputado estadual e 156 vereadores em Pernambuco.

Fonte: tribunacariri.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.