Mais uma falta de pagamento a morador que alugou imóvel à Prefeitura

Mais um caso de inadimplência da Prefeitura Municipal de Araripina veio a público essa semana. Desta vez foi no distrito do Morais onde a moradora a Sra. Joelma Francisca Oliveira que alugou seu imóvel para a PMA ficou alguns meses sem receber. Depois de muito constrangimento onde até mesmo a polícia teve que intervir no caso, a Sra. Joelma conseguiu receber 5 meses dos 6 em atraso que continua ainda um mês a ser recebido. Pela dívida acumulada ainda encontra-se 05 contas de água a serem pagas pelos antigos inquilinos além de esgotos estourados (veja imagem abaixo), onde quando a proprietária do imóvel foi limpar desceu pelo cano que esgota na rua, copos descartáveis e lixo hospitalar onde a qual quando viu toda a imundície fez questão ela mesma de limpar, pois sabia do risco que a população estaria correndo caso deixasse ali todo o lixo.

Outro fato que nos chamou a atenção foi a demissão de suas 02 irmãs que tinham contratos do município e uma delas que trabalhava na Escola Dionísio Bom de Oliveira e a outra que trabalhava no CREA de Araripina. 

O contrato do imóvel onde funcionava o Posto de Saúde do distrito do Morais no qual o prédio pertencente à cidade de Araripina está passando por uma reforma está no nome do pai da Sra. Joelma, o Sr. João Evangelista de Oliveira, o qual foi várias vezes procurar pelo dinheiro do aluguel que é no valor de R$ 800,00 foi informado que não seria pago e ele poderia dirigir-se ao Ministério Público para resolver a questão. Vejam abaixo que o contrato está assinado pelo então Secretário de Saúde na época do então prefeito interino Alexandre Arraes. 
Abaixo fotos do contrato e mais especificamente a assinatura do Sec. de Saúde o Sr. José Valmir Ramos Lacerda.

A assinatura é pertencente ao Dr. Valmir Lacerda, pai do atual vice-prefeito da cidade de Araripina. 

Mas o que tem a ver a demissão das 2 filhas do sr. João Evangelista, pois se nem na Sec. de Saúde não trabalhavam? Segundo informações da proprietária do imóvel as mesmas foram demitidas justamente por conta do pedido do imóvel, pois foi assim que foi dito ao seu pai.
Isso chama-se perseguição política e agora quero ver quais os defensores da atual gestão terá coragem de desmentir a proprietária, pois a mesma nos informou que até mesmo a cópia do contrato nos cederia caso fosse necessário.

Publicado por Cidade de Araripina Pernambuco

Sobre

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.