Pernambuco tem, segundo o balanço da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) do ano de 2013, 12 milhões e 400 mil linhas de telefonia móvel, quase três milhões a mais do que o número de habitantes do Estado, que é de pouco mais de 9 milhões. Na região Nordeste, a quantidade de linhas de Pernambuco é a segunda maior, ficando atrás apenas da Bahia, que tem quase 18 milhões de linhas para aproximadamente 15 milhões de habitantes.

O número é grande quando se considera o fato de que nem todos os habitantes possuem linha telefônica, significando que várias pessoas possuem mais de uma linha, na maioria das vezes de operadoras diferentes. Isso ocorre principalmente por causa do trabalho, da família ou dos amigos.

aee487ef0220916615e9f13d6af2396c
(Imagem da internet)

É o caso da comerciante pernambucana Eliane Silva, 34 anos, que possui dois chips pré-pagos há três anos, um da operadora Oi e outro da TIM. Ela conta que precisa de mais de um por causa dos contatos, a maioria com telefone Oi. O sinal das operadoras também influenciou na escolha. “Tem lugares que eu vou que a Oi não pega, e outros que a TIM não pega”, conta.

Assim como Eliane, a maioria das linhas no Brasil, segundo o balanço da Anatel, é pré-paga: 78,05% das mais de 271 milhões das linhas ativas. O número total de linhas representa um crescimento de 3,5% em relação ao ano anterior, totalizando quase dez milhões a mais. A quantidade de linhas, portanto, também é maior do que o número de habitantes, que é de 201 milhões.

No País, o estado com maior número de linhas móveis ativas é São Paulo, com 65 milhões de linhas por 43,6 milhões de habitantes. O menor número é Roraima, que tem 507 mil, pouco a mais do que o total de habitantes, de 448 mil.

Fonte: ne10.uol.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.