Após o dia de ontem (17) e a deflagração da Operação Pedra Branca, uma parceria entre Secretaria da Fazenda, Polícia Civil e Militar, onde aconteceram nove prisões e mandados de busca ainda continuam ativos em diligencia para encontrar outros suspeitos; o dia de hoje veio para apuração dos fatos. Os mandados de prisão foram expedidos pela Delegacia de Combate aos Crimes contra a Ordem Tributária (Deccot).

Na manhã de hoje (18), tivemos a oportunidade de falar com o Presidente da Sindusgesso – Sindicato da Industria do Gesso do Estado de Pernambuco, o senhor Josias Inojosa Filho e na ocasião ele nos deu alguns esclarecimentos sobre o acontecimento e mencionou pontos importantes para que tais situações não tornassem a acontecer, além de se posicionar como Presidente do Sindicato da Industria do Gesso do Estado de Pernambuco.

O senhor Josias Inojosa Filho contou que o conhecimento que a Sindusgesso tem sobre o referido assunto era o que estava sendo noticiado em jornais e veículos midiáticos locais, e que estava aguardando uma nota oficial do delegado encarregado, em entrevista a ser concedida em uma rádio local, para de fato conhecer a situação como um todo. E com pesar lamentava o episódio caracterizando-o como importuno, e que essa não seria a primeira vez que tal fato acontecia na região, mas só então tendo notoriedade na imprensa regional e estadual. Falou também sobre os desvios, empresas fantasmas e da competitividade entre as empresas, onde as fantasmas teria uma vantagem sobre as demais por não pagar os impostos e tributos igualmente as demais. Deixou claro que faz-se sim, necessário a presença mais ativa da Secretaria da Fazenda numa constante e não apenas em visitas esporádicas que nada resolvem; além da ideia de que a Secretaria da Fazenda, educasse os empresários do gesso contra essa competitividade injusta e desleal que acomete e favorece acontecimentos como o ocorrido no dia de ontem.

Ele conclui que essas visitas das Secretaria da Fazenda não resolvem o problema, apenas assusta momentaneamente os que atuam na irregularidade e que passado o susto inicial volta a acontecer novamente; que o correto seria um veículo fixo efetivo estadual da Secretaria da Fazenda na região para auxiliarem o desenvolvimento de ações em equilíbrio e ajudar os empresários nessa ampliação.

E você? O que achou da operação Pedra Branca?

Participe da discussão

1 comentário

  1. Concordo completamento com a operação Fazendária
    Mais também precisa eles fazerem a parte deles, fiscalizando estás fiquitificas empresas antes delas serem constituídas.
    Os que eles não faz.

Deixe um comentário

O que você achou disto?

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: