A Polícia Federal (PF) apreendeu, ontem terça-feira (14), computadores e dinheiro de políticos e empresários pernambucanos. Os trabalhos da PF no estado estão inseridos na Operação Politéia, que tem como objetivo o cumprimento de oito mandados de busca e apreensão expedidos pelo Supremo Tribunal Federal, referentes a seis processos instaurados a partir de provas obtidas na Operação Lava-Jato.

Em Pernambuco, a operação envolveu 48 policiais federais e oito procuradores da República. Pela manhã, a PF fez buscas nas residências do senador Fernando Bezerra Coelho (PSB) e do deputado federal Eduardo da Fonte (PP), no bairro de Boa Viagem, Zona Sul do Recife. As buscas aconteceram  em seis estados, além do Distrito Federal.

O procurador-geral da República, Rodrigo Junot, declarou, em nota, que a operação era necessária para a preservação de provas e para garantir eventuais esclarecimentos nas investigações de corrupção na Petrobras. “Sendo que algumas se destinaram a garantir a apreensão de bens adquiridos com possível prática criminosa e outras a resguardar provas relevantes que poderiam ser destruídas caso não fossem apreendidas”, explicou o procurador-geral.

Imóveis do ex-presidente da República e senador de Alagoas Fernando Colllor (PTB) e do presidente do PP, Ciro Nogueira, também foram alvos de buscas. No começo da tarde desta terça-feira, agentes da PF retornaram à sede da Polícia Federal, no bairro do Recife, com malotes contendo dinheiro e computadores. Os bens apreendidos supostamente foram frutos de práticas criminosas. Além de Fernando Bezerra e de Eduardo da Fonte, foram realizadas buscas em seis locais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.