Esquizofrenia, sujeito esquizóide e sujeito esquizotípico…

O saber é uma dádiva de poucos e para poucos. Quando o assunto se trata da Medicina só quem é da área (e olhe lá) e quem estuda pode discutir o assunto. Falo das rotulações e dos falsos diagnósticos que são dados a qualquer pessoa que é diferente da maioria. No caso das pessoas que tem retraimento social, timidez exarcerbada e sensibilidade emocional fina, são logo cognominadas de “loucas” e “doentes mentais”. No caso do sujeito esquizoide a falta de conhecimento,  a discriminação e o preconceito ainda são maiores. Indivíduos com distanciamento social, não se agrupam, não gostam de turmas, tem poucos amigos, mas gostam de ler, são intelectuais. O que lhes dá prazer são atividades solitárias, o que soa estranho para a maioria, porque eles são mesmos estranhos e esquisitos para os padrões da coletividade e da sociedade. Aí é que mora o perigo, porque do outro lado existe outro sujeito que é o sociopata, que está dentro das escolas, das fábricas, das repartições públicas, das empresas privadas e que parecem ser “pessoas normais” e não o são. São enganadores, manipuladores, sedutores,  de fácil contato social. Mas que são também pedradores, destruidores e perigosos para os esquizoides e os demais normais.

Sujeitos esquizoides não são portadores de transtornos neurológicos, transtornos de personalidade ou mental. São apenas sujeitos esquisitos, estranhos, indecifráveis, difíceis de serem compreendidos, que andam sozinhos. Não fazem o mal, como os psicopatas. Fazer o mal é o prazer do sociopata (um verdadeiro orgasmo na psicopata e um gozo no sociopata). Fazer o bem é o prazer do sujeito esquizoide, porque ele tem sensibilidade emocional (contida, é verdade), que o perturba por não saber expressar externamente, porque o mundo do esquizoide é o seu eu interior exarcerbado. Muitos podem achar o sujeito esquizoide de chato, de orgulhoso, porque a característica central do esquizoide é a sua introspecção, o seu EU. Mas, não saber chegar ao outro o incomoda, porque os esquizoides são humanos, humanitários, diferentes dos sociopatas, que parecendo “bonzinhos” escondem o lobo travestido na pele de cordeiro.  

A esquizofrenia é uma doença mental grave que alia vários subtipos: paranoide, maníaco-depressiva, hebefrênica e catatônica. É uma falência do Eu interior do ser humano:  a perda e a falência psíquica definitiva do sujeito. Sujeitos esquizoides jamais podem ser comparados a esquizofrênicos. Isso é uma “esquizofrenia coletiva” dos ditos normais que se faz em relação à rotulagem ao sujeito esquizoide, geralmente propagada pelo medo infundado e ignorância do saber. Sujeitos esquizoides não tem alucinações nem paranoias como os esquizofrênicos. O máximo que podem ter é um devaneio artístico da criatividade. Um sentir diferenciado da maioria. Uma maneira de se expressar, de falar subentendidas para confundir sem querer a compreensão dos ditos normais. Não são alienados mentais, nem culturais. São apenas estranhos, esquisitos e mal-compreendidos pela maioria.

SANDRO MORAES

Participe da discussão

2 comentários

  1. Acredito haver equivovos aqui com a retrataçao esquidoide, pois É um Transtorno de Personalidade (ver Diagnostic and Statistical Manual of Mental) Disorders (DSM E CID) que pode se ascentuar e e virar uma esquizofrenia, Sujeitos *SPD podem e comumente apresentam pensamentos paranoicos e incomus se nao bizarros…E acredite o”máximo q pode acontencer sao desvaneios artitiscos hahah esta longe da…. o teXto tem muitas opinoes pessoais e se mostra vago com a real no sentindo Psicanalitico aconselho a tiralo do ar e rever os conceitos pelos mestres: Winnicott ,Laing,Klein e claro o fodao lowen!!!!

    1. Vamos lá…O transtorno de personalidade é um conjunto de padrão de conduta rígido, inflexível e cronificado que o sujeito apresenta e que incomoda a maioria das pessoas. Difere dos traços de personalidade que é, digamos, o jeitão de ser do sujeito. Existem vários transtornos de personalidade:
      Transtorno da personalidade paranóide (exclui a esquizofrenia paranoide e o autismo pela ausência de alucinações visuais, táteis, auditivas e olfativas e delírios) não há fuga da realidade mas interpretação distorcida da realidade sem interferências nos sentidos visuais, táteis, etc, é apenas uma má interpretação da realidade de pensamento sem presença de ouvir vozes, ver coisas que os outros não veem etc, você deve sabe do que falo);
      Transtorno da personalidade borderline (conjunto de vários sintomas de transtornos de personalidade-indiefrencida, fronteiriça, mal diagnosticada quando o psiquiatra não usa de outros métodos além da observação clínica do paciente);
      Transtorno da personalidade narcisista (complexo de Narciso);
      Transtorno da personalidade anti-social (psicopatia, sujeito destituído de remorsos, sentir prazer em fazer o mal aos outros);
      Transtorno da personalidade esquizotípica (uma preconfiguração da esquizofrenia reconhecida pelo DSM-IV nas suasformas hebfrênica, paranoide, catatônica etc) intomatologia refratária da esquizofrenia crononificada, se coonfude em parte com o boderline ;
      Transtorno da personalidade histriônica (o sujeito portador quer chamar atenção de todos de forma inconveniente e desproporcional, o que faz piadas que ninguem rir, o exagerado extrovertido, o palhaço da turma de forma didática; descarta o transtorno afetivo unipolar na sua forma de hipermania, euforia exagerada sem motivo, alegria incontida sem justificação, etc, você também deve saber do que falo.

      A esquizoidia não é transtorno de personalidade mas traço de personalidade caracterizado por retraimento social, timidez patológica e sensibilidade emocional fina do sujeito. Geralmente, o esquizoide apresenta inadaptação social e dificuldades de relacionamentos interpessoais porque ele é fechado, na dele e tem traços de personalidade pouco comuns à maioria. O portador de transtorno de personalidade histriônica e antisocial são doentes mas passa despercebidos pela maioria leiga da sociedade porque são apresentáveis, falantes, charmosos, envolventes e labiosos, tem discurso convicente , por isso a confusão conceitual que você desenvolveu. A paranoia não tem nada a ver com a esquizoidia, isso é uma ignorância de conhecimento, porque está relacionada mais à esquizofrenia de subtipo e necessariamente a psicose pode ser episódica em qualquer pessoa dita normal, mesmo as não acometidas de transtornos neurológicos, mentais e de personalidade, depende de te colocarem num campo de concentração nazista um ano para ver como tu sairia de lá ou mesmo ser vítima de bulliynh,mobbing e assédio moral, nas formas individuais e coletivas te isolando para ficar falando sozinho contra o mundo. Outros transtornos existem como:

      Transtorno da personalidade dependente;
      Transtorno da personalidade esquiva;
      Transtorno da personalidade obsessivo-compulsiva;

      Não discorrerei mais sobre o tema porque não estou lecionando de graça. Mas, com todo respeito, a matéria continua, o ponto de vista conceitual é o correto e há uma previsão de revisão do DSM-IV e da OMS para nova classificação das desordens psíquicas e mentais, orgânicas ou não. Sugiro estudar mais o tema e se aprofundar para o debate porque há pontos de vistas psicológicos, psiquiátricos e psicanalíticos sobre o tema. Um abraço!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.