Conheça os índios do sertão! Os primeiros habitantes moram ao lado.

19 de abril é o Dia do Índio e, para comemorar a data, é comum que crianças pintem o rosto (se bem que antigamente, esse hábito era mais comum, na data de hoje) e façam enfeites que imitam cocares para colocar na cabeça. Esses são dois costumes conhecidos dos índios, mas eles têm muitos outros hábitos que estão se modificando ao longo do tempo. Vários, como tomar banho todos os dias -nós herdamos desses povos – assim como algumas palavras, como abacaxi e outras que dão nome a cidades por todo o Brasil, como Itacarambi e Itabirito.

Hoje, são 230 povos e, pelo menos a metade, vive quase que exclusivamente das fontes tradicionais (caça e pesca), como os Piripikura que vivem no Mato Grosso, enquanto outros já sabem usar computador, falam português e até atuam como políticos. Como se  pode perceber, não dá para generalizar o modo de viver dos índios porque cada grupo vive de um jeito. Muitas pessoas se lamentam por pensarem que os indígenas estão perdendo sua cultura por ficarem cada vez mais parecidos com os homens brancos. Mas os indígenas se defendem e dizem que o modo de vida de toda sociedade se transforma com o passar do tempo e, com eles, não poderia ser diferente.

Atualmente, mesmo com tanta tecnologia, meios de informação e comunicação, nós nordestinos, pouco sabemos que nessa região há povos indígenas.

Pernambuco conta com nove tribos indígenas. Duas delas – a Fulni-ô e Xucuru – estão fixadas no agreste e as sete restantes no sertão do Estado, como os Trukás. Essa tribo vive na Ilha de Assunção perto do Rio São Francisco no município de Cabrobó, no estado de Pernambuco. Desde o século XVIII eles enfrentam disputas de terras, e até hoje lutam pelo reconhecimento oficial do seu território, pelas pessoas que tomaram suas áreas e contra os narcotraficantes. Isso acontece principalmente devido a tribo situar-se no chamado “Polígono da Maconha”.  Alguns índios chegaram a ser presos por envolvimento, mas o restante da tribo considera as visitas constantes dos policiais como uma tentativa de tomada da terra onde eles vivem. Vivem de práticas agrícolas, plantando milho, cebola, arroz, manga, mandioca, alface, e também praticam a pesca que é bem comum entre os indígenas.

É importante que tenhamos consciência de que devemos valorizar a preservação dos povos indígenas, bem como   reconhecer os seus direitos, e saber que homem nenhum pode roubar suas terras ou mudar sua cultura. Eles são movidos pelos seus costumes, movidos pelo amor que possuem uns com os outros, conscientes de que devemos cuidar bem de nossas árvores, rios, e animais.

Fica aqui, neste artigo, uma forma de protesto, pela falta de informação e documentos dos primeiros moradores da nossa terra (Brasil).

Espera-se, que um dia, possamos conviver com uma história limpa e precisa a respeito dos nossos primeiros habitantes, antes que venham a ser reconhecidas apenas nos livros.

Deixe um comentário