Os funcionários da Companhia de Saneamento de Pernambuco (Compesa) decidiram, em assembleia, pela deflagração de greve por tempo indeterminado desde o último sábado (8). A paralisação foi aprovada na terça-feira (4), após a realização de quatro assembleias, em Recife, Carpina, Caruaru e Petrolina, no Sertão de Pernambuco. Após o anuncio de que uma greve da Compesa estaria em processo, a preocupação dos moradores era de que os serviços de abastecimento fosse comprometido.

Segundo o Sindicato de Base Urbanitário, os serviços essenciais a população, como a abastecimento de água, não será comprometido. A captação e a distribuição de água, por serem serviços considerados essenciais, não vão parar. Já reparos de vazamentos e de esgoto, que são coordenador pelos funcionários da Companhia, não devem acontecer.

Ainda de acordo com o sindicato, a decisão da greve só foi aprovada após várias tentativas de negociação. Os representantes informaram que foram realizadas dez rodadas, sendo cinco audiências no Ministério Público do Trabalho de Pernambuco (MPT), onde a Compesa apresentou um reajuste de reposição de inflação de 8,34%, dividido em duas parcelas.

Em nota, a Compesa informou que foi comunicada através de ofício, enviado pelo Sindicato dos Urbanitários, sobre o resultado da assembleia realizada na última terça-feira (4). A Companhia disse ainda que espera que os serviços essenciais a população sejam mantidos pelos trabalhadores, conforme oficializado pelo sindicato. A Compesa assegurou que adotará todas as medidas cabíveis para garantir a comunidade os serviços prestados pela empresa.

Fonte: G1.globo.com

Publicado por Dyangellys Batista

Bibliotecário, Gamer, Geek e Baixinho!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.