Período de retomada pós-pandemia exige decisões acertadas das empresas


A crise causada pela pandemia do novo coronavírus afetou, de modo expressivo, a rotina das empresas e a capacidade produtiva das indústrias. Neste momento de retomada, o desafio do setor empresarial é conseguir combinar a redução de custos com o aumento da produtividade, garantindo mais eficiência e melhorando os resultados. Parece impossível, mas não é – basta que o empresário saiba identificar os gargalos que existem na sua empresa e quais as melhores formas de contorná-los. Mudanças na disposição do mobiliário e do maquinário, identificação de desperdícios e o uso mais consciente de energia elétrica, por exemplo, são formas de atingir esses objetivos sem o aporte de grandes investimentos.

Para o coordenador de Consultorias do SENAI Pernambuco, Fábio Luna, a melhor forma de superar momentos de crise é tomando decisões acertadas. Ao investir em uma consultoria, por exemplo, o empresário terá o diagnóstico preciso da situação de sua empresa e uma solução personalizada para o seu cenário. “Parece o momento de diminuir os custos de todas as formas, mas a verdade é que essa é uma boa hora para conversar com especialistas que podem ajudar a identificar oportunidades e formas de ultrapassar a crise”, explica o coordenador de Consultorias do SENAI Pernambuco, Fábio Luna.

Cada problema pode ser resolvido com consultorias específicas. Um empresário do setor de Vestuário, por exemplo, pode encontrar apoio para a construção de uma coleção. Já um empresário do setor de Alimentos pode melhorar seus serviços com o desenvolvimento de uma tabela nutricional e a determinação do tempo de prateleira para atingir novos mercados. E todos eles podem diminuir seus custos com a adoção de práticas de eficiência energética ou aumentar seus lucros com o cálculo correto do preço de custo dos seus produtos.

Segundo Luna, o tipo de consultoria deve ser escolhido a partir do momento que a empresa está vivenciando. “Sempre há um ponto de melhoria. Muitas vezes, os empresários e funcionários que trabalham nas fábricas não veem problemas que estão claros. Quando trazemos um profissional de fora, capacitado, eles conseguem enxergar coisas simples e que nem precisam de investimentos de alto custo. Quase sempre conseguimos melhorar a produtividade com soluções de baixo custo e alto impacto”, reforça Luna.



Fonte

IEL-PE de Araripina oferta curso sobre ferramenta de Planejamento, Programação, Controle e Produção


As empresas mais modernas e que possuem melhores resultados são aquelas que investem na otimização e gerenciamento dos seus processos. Uma estratégia eficiente para atender melhor as necessidades dos seus clientes e do mercado. Para isto, o Instituto Euvaldo Lodi (IEL-PE) na sua Unidade Regional do Araripe irá realizar nos dias 21 a 24 de setembro a oficina Planejamento, Programação, Controle e Produção – PPCP. Os encontros serão ao vivo e online das 19h às 22h.

Com duração de 12 horas, o curso vai mostrar aos participantes a ferramenta PPCP e suas aplicações práticas no planejamento e controle do processo de fabricação de mercadorias e ainda a utilização dos recursos necessários para a sua produção como, por exemplo, estabelecer a quantidade a produzir, definir e prover o material a ser usado, quantificar a necessidade de mão-de-obra e mensurar o prazo de execução de forma organizada para melhor atender os clientes e obter melhores resultados.

O instrutor trará casos reais de empresas que aplicaram a ferramenta PPCP e melhoraram seus resultados de produtividade com a redução significativa de custos, o equilíbrio do estoque e a maior integração entre os setores da empresa. As inscrições são realizadas na unidade do IEL-PE, em Araripina, na sede do SENAI, ou através do Whatsapp (87) 981786670 ou diretamente no site http://ielpe.org.br/capacitacao/curso-ppcp-planejamento-programacao-controle-e-producao-2/



Fonte

Com campanha Escolha Pernambuco, indústria incentiva compra de produtos locais


Depois de quase cinco meses acumulando impactos trazidos pela Covid-19, as indústrias pernambucanas se unem e buscam forças para soerguer a atividade produtiva. Lançado pela FIEPE, o projeto Escolha Pernambuco foi criado para engajar a sociedade e estimular o consumo interno, visando incrementar o Produto Interno Bruto (PIB) local, incentivar a geração de emprego e permitir que os investimentos cheguem ao Estado. Ao todo, Pernambuco tem cerca de 15 mil indústrias que podem ser beneficiadas pela iniciativa.

De acordo com o presidente da FIEPE, Ricardo Essinger, o lema de que “juntos somos mais fortes” nunca fez tanto sentido quanto neste momento de crise. Ele reitera que valorizar os produtos do nosso estado e apoiar a retomada do crescimento são importantes. “Muitas vezes, os itens fabricados pelas nossas indústrias têm preços mais competitivos, mas não são privilegiados durante a compra. São atitudes simples, como olhar o endereço da fábrica no rótulo, por exemplo, que são capazes de mudar a nossa realidade”, destacou.

Pernambuco tem uma das economias mais importantes do Nordeste, com uma pauta bastante diversificada e capaz de reunir os setores produtivos mais pujantes que uma economia pode ter, como os setores gesseiro, de fruticultura, automotivo, de confecção, construção civil, bem como o sucroalcooleiro e o químico. Para se ter ideia, a indústria é responsável por gerar quase 20% do PIB interno e impulsionar o consumo de outros setores, como comércio e serviços.

Embora os desempenhos das economias local e do País não estivessem dos melhores antes da pandemia, devido à crise de 2015, enxergava-se uma lenta retomada no início de 2020. É tanto que os dados do Caged apontavam uma redução no saldo negativo de empregos, que saiu de 10.417 postos de empregos fechados em 2016 para 3.600 em 2019, em Pernambuco.

O mesmo movimento acontecia com a produção industrial do Estado, que pontuou 5,5% de crescimento na passagem de dezembro de 2019 para janeiro de 2020 e elevação de 4,9% de janeiro para fevereiro deste ano.  “Sabemos que temos um longo caminho para voltarmos aos patamares anteriores ou, no cenário mais otimista, crescermos mais. É preciso que cada um, se puder, faça a sua parte e contribua para que o que é produzido no nosso estado tenha ainda mais importância para o seu povo”, frisou Essinger.

CAMPANHA

A campanha institucional foi apresentada ao grande público por meio da divulgação de um vídeo através das grandes emissoras do País, em junho deste ano. Agora, a ideia é que essa concepção se solidifique ainda mais e traga resultados para a nossa economia.



Fonte

SENAI Pernambuco abre matrículas para cursos técnicos


O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial em Pernambuco (SENAI-PE) abriu o período de matrículas para quem quiser se inscrever em um dos cursos técnicos oferecidos pela instituição. Ao todo, são mais de 450 vagas para 10 cursos semipresenciais, que ocorrerão nas escolas técnicas. Em Araripina, os cursos ofertados são 30 vagas de Eletrotécnica na modalidade semipresencial e mais 30 vagas para EAD e outras 30 vagas para Segurança do Trabalho com aulas EAD. Todas as informações estão no site www.pe.senai.br ou pelo 0800 600 9606.

As matrículas podem ser feitas até o dia 30 de outubro, mas há desconto de 20% no valor total do curso para quem se matricular até 9 de outubro. A previsão é que as aulas iniciem no dia 19 de outubro. Na modalidade semipresencial, os alunos cursarão até 20% da carga horária por meio de uma plataforma virtual, garantindo maior flexibilidade nos horários de estudo. Todas as atividades práticas e módulos específicos, essenciais no ensino profissionalizante, ocorrerão presencialmente. Já a modalidade EAD, além das aulas virtuais, contempla encontros semanais com tutores.

Os cursos ofertados são resultado de pesquisas realizadas nos últimos meses com o setor industrial, com o objetivo de entender a real demanda do segmento no contexto pós-pandemia. Além disso, as ofertas estão alinhadas com o Mapa do Trabalho Industrial, divulgado em 2019, que identifica as principais necessidades da indústria até 2023. “Estamos oferecendo cursos técnicos que preparam os profissionais a serem demandados pelo mercado em um futuro próximo, com foco, também, nas necessidades específicas de cada região do Estado”, explica a diretora de Educação do SENAI-PE, Carla Abigail.

 



Fonte

SESI-PE distribui livros de Monteiro Lobato e Ziraldo para estimular o hábito pela leitura


???Uma iniciativa do SESI promete expandir os hábitos de leitura entre crianças e adolescentes em todo o Brasil. Trata-se do Programa Literário SESI, no qual estudantes dos ensinos Fundamental e Médio receberão, gratuitamente, livros de Monteiro Lobato e Ziraldo. Em Pernambuco, 6.070 alunos das 13 unidades da Rede SESI de Educação serão contemplados com as obras para estimular o gosto pela literatura.????

Entre os alunos do Ensino Fundamental, cada um ganhará uma maleta com oito títulos. Os estudantes do 1º ano e 6º ao 9º ano receberão obras de Monteiro Lobato e os do 2º ao 5º ano livros de Ziraldo. Já os alunos do Ensino Médio serão presenteados com seis exemplares de Monteiro Lobato.?

O programa, criado e organizado pelo Departamento Nacional do SESI, visa incentivar também o acesso às obras literárias de autores brasileiros, a ampliação da capacidade de produção textual das crianças e dos jovens, além de enriquecer o acervo das bibliotecas escolares do SESI. “Queremos que a leitura ultrapasse os muros da escola e que os alunos aproveitem a oportunidade para estreitar o vínculo com os pais, desenvolvendo o hábito de ler juntos”, comentou a gerente de Educação do SESI-PE, Mirella Barreto.

Para engajar os estudantes, o SESI-PE lançou um desafio que envolve criatividade e trabalho em equipe. “Cada unidade do SESI-PE deverá elaborar um projeto usando como fonte de inspiração os autores Monteiro Lobato e Ziraldo. Demos total liberdade para eles criarem uma peça teatral, um sarau, uma radionovela ou o que preferirem”, contou Mirella.

A entrega dos kits está sendo feita em esquema drive thru, respeitando os protocolos de segurança para evitar a disseminação da Covid-19. Em Araripina, o projeto foi realizado na última sexta-feira, 21, e distribuiu os kits para quase 300 alunos da escola.



Fonte