As cidades de Araripina e Salgueiro, no Sertão de Pernambuco, tiveram aumento de mais de 50% nos registros de crimes sexuais contra crianças e adolescentes nos primeiros quatro meses deste ano, conforme a Polícia Civil. Próximo sábado (18), o Brasil se prepara para lembrar o Dia Nacional de Luta contra o Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Em Pernambuco, a Gerência de Proteção da Criança e do Adolescente (GPCA) alerta para a importância de denunciar esse tipo de crime.

Rede de Combate ao Abuso Sexual de Crianças e Adolescentes lança Campanha
Rede de Combate ao Abuso Sexual de Crianças e Adolescentes lança Campanha

De acordo com o gestor da GPCA, Zaneli Alencar, o ato sexual não é a única atitude que caracteriza o abuso. “A violência se apresenta em outras formas como postar fotos na internet de cenas pornográficas. Os atos libidinosos e a condição carnal estão englobados em um único crime, o crime de estupro”, afirma. A punião por este tipo de crime pode chegar a pena de 8 a 15 anos de reclusão.

Zanele Alencar orienta que vizinhos, amigos e familiares registrem a denúncia pelo Disque 100, pelo Disque-Denúncia (3421-9595) ou pessoalmente na GPCA ou delegacias do interior do estado, mesmo que seja contra um membro da família e possível provedor do jovem.

“Esta é uma das maiores dificuldades da apuração de crimes sexuais contra a criança e o adolescente. Pessoas que estão praticando crimes podem ter poder sobre a criança e muitas vezes elas os têm como referência, o que fica difícil. É importante acreditar na criança para que o crime seja combatido e não fique impune. A palavra dela é suficiente para indiciamento e até condenação”, esclarece o gestor da GPCA.

Em 80% dos casos, o abuso sexual acontece dentro de casa e muitas vezes as crianças passam a ter mudança de comportamento e apresentam outros sinais visíveis para os amigos e familiares. De acordo com a gerente de Vigilância a Doenças e Agravos Não-Transmissíveis da Secretaria de Saúde, Marcela Abath, os traumas gerados podem ser físicos e psíquicos. “Os sinais diretos, por exemplo, são lesões no hímen, laceração anal, sangramento e até lesões na cavidade oral por sexo oral”, afirma. “Como sinais indiretos, indicamos a mudança de comportamento, agressividade, problemas para dormir, para se concentrar”, conclui.

No Recife, a sede da GPCA, onde podem ser registradas denúncias anônimas, fica na Rua Benfica, nº 1.008, no bairro da Madalena, Zona Oeste do Recife.

Publicado por Hermes Alves

Sou fundador deste site, projeto que iniciei em 1999 realizando a primeira transmissão ao vivo para a Internet de um evento junino. Sou formado em Marketing com especializações internacionais em Informática e um amante descarado por nossa querida cidade, Araripina Pernambuco.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.