De acordo com os reguladores e burocratas de hoje, todos nós que nascemos nos anos 60, 70 e princípios de 80, não devíamos ter sobrevivido até hoje…
Nossas caminhas de bebê eram pintadas com cores bonitas, em tinta à base de chumbo, altamente tóxicas, que nós muitas vezes lambíamos e mordíamos

Não tínhamos frascos de medicamentos com tampas à prova de crianças, ou fechos nos armários e podíamos brincar com as panelas numa boa. 

Quando andávamos de bicicleta, não usávamos capacetes, cotoveleiras e joelheiras, e olha que merthiolate ardia mais do que ácido!

Quando éramos pequenos viajávamos em carros sem cintos de segurança e airbags, ir no banco da frente era um bônus.

Bebíamos água da mangueira do jardim e não de garrafa, que na época nem vendia.

Comíamos batatas fritas, pão com manteiga e outras porcarias mas dificilmente engordávamos porque estávamos sempre loucos para brincar na rua com os amigos.

Partilhávamos garrafas e copos com dezenas de colegas e nunca morremos disso.


Passávamos horas a fazer carrinhos de rolamentos e depois andávamos a grande velocidade pela rua mais íngreme, para só depois nos lembrarmos que esquecemos de montar algum tipo de freio.

Saíamos de casa de manhã e brincávamos o dia todo, desde que estivéssemos em casa antes de escurecer.

Estávamos incontestáveis e ninguém se importava com isso.

Não tínhamos Play Station, X Box, nada de 100 canais de televisão, filmes de vídeo, home cinema, celulares, computadores, DVD, Chat na Internet. A Tv pegava no máximo globo, sbt e manchete.

Tínhamos amigos e para vê-los era só ir pra rua.

Caíamos de muros e de árvores, nos cortávamos, até partíamos ossos.

Apertávamos as campainhas dos vizinhos, fugíamos e tínhamos mesmo medo de sermos apanhados. Tudo isso sem ninguém processar ninguém!

Íamos a pé para casa dos amigos e para a escola; não esperávamos que a mamãe ou o papai nos levassem.

Criávamos jogos com simples paus e bolas.
Se infringíssemos a lei era impensável os nossos pais nos safarem. Eles eram a lei.

Tínhamos liberdade, fracasso, sucesso e responsabilidade e aprendemos a lidar com tudo.

Parabéns para nós, sobreviventes da aventura chamada “Infância e Adolescência Feliz”!

Sim! Estamos ficando velhos, mas as gerações futuras nunca compreenderão o sentido da Felicidade na Simplicidade.
Eu graças a Deus vivi tudo isso. Enquanto lia passava um filme em minha cabeça.

Elon Chaves.’.

.Infancia

Participe da discussão

1 comentário

  1. … embora filho único, criado como “mocinha”. Vivi boa parte disso tudo… mas, tenho o auto-orgulho de ter vivido. Sem essa de “deprê” por isso ou por aquilo… como diz a filosofia sertaneja: “Sem frescuras”… Isso é muito bom… 🙂

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.