Fundação

Araripina foi um distrito de Ouricuri e tinha a denominação de São Gonçalo. Em 1º de julho de 1893 uma lei municipal criou o distrito de São Gonçalo, que então contava com cerca de 10 casas, e a Capelinha de Nossa Senhora da Conceição, primeira e única padroeira do lugar.

A lei estadual nº 991, de 1º de julho de 1909, elevou o povoado à categoria de vila, como distrito de Ouricuri. Em 1922, o bispo de Pesqueira criou a Paróquia de Nossa Senhora da Conceição de São Gonçalo que, até 1933, ficou sob a responsabilidade do vigário de Ouricuri. Em 14 de junho de 1923, chegou o primeiro vigário residencial, começando, então, uma nova era para São Gonçalo. O município foi criado pela lei estadual nº 1.931, de 11 de setembro de 1928, que teve vigência a partir de 1º de janeiro de 1929, data da instalação. O decreto-lei estadual nº 952, de 31 de dezembro de 1943, mudou a denominação do município de São Gonçalo para Araripina, provavelmente pelo fato de o município localizar-se nas imediações da Chapada do Araripe.


II – Canto às Origens

ARARIPINA

Araripina é Estrela do Araripe
Urbe que se alteia bonita
Nesse majestoso araxá do gesso

Araripina é topônimo erudito de Mário Melo
Voz tupi, aglutinante de termos primários.
– “ RARI ” e “ PINA” – reunidos na forma da
Palavra absoluta – ARARIPINA.

Sua origem remonta ao ancestral mongol
Semitoasiático – tupiná – gênese de Tupã
Que fez a se mesmo – O PRIMEIRO PAI

São etinos orientais que nos faz lembrar,
O Canto agreste d’arara, no cimo da chapada
– “ Ará, ará” – sempre a cantar
As origens remotas de Araripina.

Araripe – é a grande serra, irmã gêmea de Ibiapina
– Pátrio rincão tropical
Onde nasceu a doce Iracema
Símbolo de – beleza – e bravura

D’ascendênte de Araribóia – O guerreiro cobra
Que do País, fez sair
O invasor “Mair da França Antártica”

– Meu Comandante Camarão, olha lá!
Astro rei dos “ ‘RARI
É o sol, é o dia, é – Araripina Estrela – luz
Que alumia a mente tupiná do meu Sertão.

Esse poema faz parte do Livro do Professor e Naturalista, VICENTE ALEXANDRE ALVES, intitulado As Origens e Riquezas Naturais de Araripina, como sede da região do Araripe, ainda aguardando publicação, podendo ser copiado sem restrições, desde que citada a fonte.