Pernambuco elege mais seis patrimônios vivos e passa a ter 57 titulados

Pernambuco ganhou mais seis patrimônios vivos após eleição nesta quarta (18) na sede do Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio Cultural (CEPPC), no Recife. Com isso, o estado passa a contar com 57 titulados.

Os seis escolhidos foram o Cavalo-Marinho Estrela de Ouro, de Condado, na Zona da Mata; o mestre de reisado Gonzaga de Garanhuns; a mestra cirandeira e carnavalesca Cristina Andrade; o grupo Sociedade 12 de Outubro (Banda Saboeira); a Organização Religiosa Africana Santa Bárbara Nação Xambá (Casa Xambá); e o Mestre Zé de Bibi.

Ao todo, 59 candidatos concorreram à titulação neste ano. Eles apresentaram documentos para atestar critérios como participação em atividades culturais há, pelo menos, 20 anos e aptidão para repassar seus conhecimentos e técnicas para aprendizes, conforme está determinado pela Lei 12.196/2002, que regula o Registro do Patrimônio Vivo do Estado de Pernambuco.

Após realizarem uma defesa das suas candidaturas em audiências públicas promovidas pelo CEPPC no antigo plenário da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), os contemplados recebem os títulos em 17 de agosto, quando é celebrado o Dia Nacional do Patrimônio Histórico.

Cristina Andrade

Com 71 anos, a mestra cirandeira e carnavalesca cantou em corais de blocos como Após Fun, Bloco do Amor, Diversional da Torre e Urso Cangaçá. Desde criança, coleciona atuações em folguedos como o Pastoril Estrela Brilhante e a Ciranda Dengosa.

Gonzaga de Garanhuns

Um dos nomes de destaque do reisado em Pernambuco, ele tem 74 anos e já soma mais de seis décadas de atividade na área. Além disso, publica cordéis desde a década de 1970 e é autor de obras de referência sobre Garanhuns, cidade onde vive, e é integrante da Academia de Letras do município.

Cavalo-Marinho Estrela de Ouro de Condado

O grupo foi fundado em julho de 1979 nesse município da Zona da Mata e tem como sede o Centro Àgora de Tradição e Criação, espaço utilizado também como escola de tradição popular. O mestre Biu Alexandre participa do grupo desde a infância e herdou a brincadeira de seu pai, o mestre Pedro de Quina, que também atuou no Cavalo-Marinho Estrela de Ouro de Condado.

Sociedade 12 de Outubro (Banda Saboeira)

Com 169 anos de história, é o segundo grupo com mais tempo de atividade no Brasil, segundo a Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe). A banda atua na formação de músicos profissionais em diversos instrumentos musicais e é considerada uma referência para a cultura musical de grupos da Zona da Mata Norte de Pernambuco.

Organização Religiosa Africana Santa Bárbara Nação Xambá (Casa Xambá)

A Nação Xambá conta com 88 anos de história de atuação na comunidade onde está situado o Quilombo do Portão do Gelo, em Olinda. Além disso, a Casa de Xambá foi considerada o primeiro quilombo urbano da América Latina. O Coco da Xambá, Afoxé Ylê Xambá e Grupo Bongar estão entre as ações de destaque do grupo.

Mestre Zé de Bibi

Com mais de 50 anos de atividade artística, o mestre é um dos representantes do cavalo-marinho e do mamulengo. José Evangelista de Carvalho mantém o Sítio Histórico e Museu do Cavalo-Marinho em Glória do Goitá, na Zona da Mata de Pernambuco, e foi vencedor do Prêmio Culturas Populares, do Ministério da Cultura em 2007.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.