Operação Paradise em Araripina – Um ano de deflagramento

Hoje (7/5), faz exatamente um ano que a Polícia Federal em ação conjunta com a Controladoria Geral da União – CGU, deflagrou a Operação Paradise (uma alusão a um condomínio fechado, denominado Paraíso, que um dos investigados está construindo na cidade de Araripina) com o objetivo de desarticular esquema de desvio de dinheiro público na prefeitura de Araripina/PE. O grupo desviava recursos públicos que deveriam ter sido utilizados na construção de escolas, creches e quadras poliesportivas com verbas oriundas do Ministério da Educação.

“As investigações se iniciara em 2013 e revelaram que havia um acordo entre os licitantes para fraudar as licitações, uma vez que pela análise dos quadros societários das empresas licitantes e vencedoras haviam empregados domésticos e parentes dos principais envolvidos nos quadros societários. Foi verificada, também, a concessão de descontos padrões nas ofertas realizadas, típico de quem não está realmente disputando a licitação”. (http://www.pf.gov.br/agencia/noticias).

As obras, hoje, estão abandonadas, o que gera indignação da população, que não tem nenhuma satisfação da gestão municipal. As construções são fiscalizadas por alguns vereadores, que incluem 11 escolas, 2 creches, 4 quadras poliesportivas e a construção da Unidade de Pronto Atendimento 24 horas.

O município de Araripina tem sido visto em reportagens de jornal, por conta dessas obras, mais precisamente em Lagoa do Barro, onde os moradores estão revoltados, devido o atraso de conclusão de uma creche e uma quadra, e, em nota, a prefeitura disse que em junho retoma a construção das obras. Vamos esperar!

 

 

Deixe uma resposta