ARARIPINA, 83 ANOS DE EXISTÊNCIA COM POUCO A COMEMORAR.

A nossa Princesinha do Araripe comemora no próximo dia 11 de setembro mais um ano de sua emancipação política.

Durante a sua existência como cidade emancipada, teve por um tempo o privilégio de ser administrada por homens briosos, sonhadores, honestos e preocupados em transformar a antiga São Gonçalo, em uma cidade rica, próspera e capaz de abrigar seus filhos com condições dignas de vida.
O tempo foi passando e a nossa querida Araripina foi crescendo com muita dificuldade e de forma bastante desorganizada. Não tivemos nos últimos anos nenhum administrador que fosse capaz de exercer uma administração no município que contemplasse a comunidade com a assistência básica que o povo necessita. (saúde, segurança, educação, trabalho, saneamento básico ( água e esgoto) e lazer).
Araripina vive atualmente um momento crítico em que alguns haustórios da política local querem tomar o poder a qualquer custo, outros desejam recuperar a mamata que perderam e outros se abastecem de recursos lamentáveis para não entregarem o poder que detêm.
Enquanto esses haustórios vivem em freqüentes reuniões para chegarem à forma ideal de alcançarem seus objetivos, a cidade padece do mais elementar, em termos de administração pública.
O município sobrevive com muito sofrimento, nada tendo a oferecer à comunidade. Pois não existem verbas, recursos próprios, nem um plano de ação por parte dos gestores públicos. E eles foram eleitos e aclamados por uma inocente população, que padece com a precariedade dos benefícios mínimos que uma cidade enseja.
A população carece de urbanização, água, esgoto, emprego, educação de melhor qualidade e uma rígida administração na área do trânsito urbano; que é simplesmente caótica; sem contar que os habitantes precisam com urgência, de um corpo de bombeiros que seja dedicado com exclusividade ao município e aos seus distritos.
O ano que vem é ano político. Cuidado! Muito cuidado com os haustórios profissionais da política. Eles são espertos, têm uma conversa afinada, têm uma capacidade de persuasão em que todos terminam caindo na balela deles.
Em consideração aos grandes pioneiros que fizeram de São Gonçalo, a cidade dos nossos sonhos, quero deixar ao povo maravilhoso de Araripina, os meus sinceros parabéns pelos 83 anos da PRINCESINHA DO ARARIPE.
Desejo que no próximo anos os Araripinenses acertem na escolha dos nomes das pessoas que serão responsáveis pelo destino da nossa maravilhosa cidade.

Por: Humberto Alves Bandeira

 

  1. A arte de analisar a gestão pública pode ser considerada de duas formas em debates de tipo participativo, como este fórum oferece: cientificamente ou passionalmente.

    Se o leitor toma como escolha a primeira opção deve tomar como base os conceitos e abordagens teóricas do campo de estudos denominado Análise Política. Esta dimensão exige do analista um desenho do Estado da Arte de um projeto que irá então comparar dados históricos e também investigar a capacidade institucional dos órgãos de governo para a implementação de políticas públicas.

    Se o leitor prefere a segunda opção o olhar sobre os fatos ocorre ou deve ocorrer de um modo também comparativo. Agrego ao elemento comparação de dados a ética do debate democrático. Nesse sentido, avalio como pertinente a análise histórica-descritiva feita por Humberto Bandeira. Seu texto informa ao bom leitor a leitura simplificada de um complexo fenômeno real: o fracasso da administração pública em Araripina. Mais do que isso, indiretamente a comunicação faz um alerta à população: monitorem e controlem seus governantes, organizem sua sociedade civil, discutam as questões de interesse público e estabeleçam uma competição política que resulte em performance e desenvolvimento humano e cultural.

    Sobre Humberto, este perdeu a mamadeira “long time ago”, quando sua mãe, a minha querida vovó Sebastiana, tomou tal decisão. Lá se vão mais de 60 anos. Nesse período, Humberto, que fez carreira como administrador público prestou relevantes serviços à Telegoiás, uma das melhores empresas públicas da federação. Com a privatização do setor de telocomunicações no Brasil e o fim do tempo de serviço de Humberto, restava-lhe o fato de se despedir bem da função. Contudo, por mérito profissional, foi convocado a pensar a transição do marco regulatório goiano nos anos 90. Em um trabalho considerado como um modelo de gestão, ou um “case study”, o administrador Humberto ajudou a instituir a Telegoiás Celular, primeiramente negociada com a Brasil Telecom e depois com as empresa Oi e Vivo.

    Com este “gran finale”, Humberto se ocupa já há alguns anos de caminhadas no bonito parque Vaca Brava em Goiânia, além de ter o privilégio de acompanhar seus filhos e netos. Quando há necessidade vai também em sua fazenda cuidar do rebanho e visitar a família da esposa no interior de Goiás. Vale a pena dizer que Humberto também não parou de pensar: é ainda requisitado para dar conta de alguns dilemas da administração pública ou privada.

    Como se vê, o cidadão Humberto, apaixonado por sua cidade natal, ainda encontra tempo de nos brindar com suas análises críticas, inteligentes e imparciais.

    Parabéns à Araripina pelos 83 anos (mesmo em um sério momento de crise institucional).

  2. 83 anos de comemoração de muriçocas comendo o couro dos araripinenses; 83 anos de comemoração da perimetral toda esburacada, 83 de comemoração do término da Avenida Antônio de Barros Muniz para a eternidade (no dia da inauguração vão chamar Inri Cristhus um louco catarinense que diz ser Jesus Cristo); 83 anos de comemoração de babões defendendo o indefensável e e esculhambando os cidadãos e honestos da cidade que tem honra e as mãos limpas da roubalheira porque nunca meteram a mão na cumbuca; 83 anos de comemoração de falta de água de 15 em 15 dias na cidade, mesmo com Adutora do Oeste e tudo. Tem muita coisa para comemorar….Quem for do bem e quiser aumentar a lista, é só fazer mais posts, porque os babões vão partir pra baixaria e se não para porrada…

  3. Gostaria de parabenizar a Humberto Bandeira, pela coragem de mostrar a realidade como ela é, aqui em nosso município, dizer que o que ele fala em relação as ultimas administrações de Araripina, é a mais pura verdade. Infelizmente ainda temos uma classe política super viciada, que encherga a prefeitura como mera fonte de dinheiro para si e para seus correligionários, enquanto a nossa população fica quase que totalmente esquecida; vejam a situação caótica da assistencia a saúde do nosso município; há necessidade de gestores éticos e compromissados com nosso povo e não de maus politicos enganadores. Grande abraço a você Humberto, com certeza Araripina precisa muito de pessoas que pensam como você
    Ass: Cacio de A. castro

  4. Dizer o quê? O texto do grande Humberto já diz tudo. Alie todo esse descaso a uma juventude alienada, sem pretensão de mudança, inúmeras “lideranças” populares facilmente corruptíveis e uma população já completamente habituada a viver sob o jugo dos coronéis de Hilux, contentando-se com migalhas. Parabéns a eles, que infelizmente ainda continuam tomando conta da nossa vida.

  5. saudades da terrinha,cada dia vai crescendo e cada vez mais populosa e linda…orgulho de ser pernambucana…………..

  6. ,cada dia vai crescendo e cada vez mais populosa e linda…orgulho ser araripinense….