Alunos da rede pública falam sobre preparação, expectativa e pós ENEM 2018

Passados os dois finais de semana de realização da prova do Enem, Exame Nacional do Ensino Médio, o Araripina.com.br esteve em escolas de Araripina, no sertão de Pernambuco, para conversar com alunos sobre como se deu a preparação desses no decorrer do ano letivo para o exame, quais as expectativas para o exame e principalmente o que esses alunos esperam do pós ENEM e pós ensino médio; algumas estimativas para mercado de trabalho, graduação, vida e anseios do futuro.

Para uma melhor perspectiva de como funciona, foram visitadas escolas da rede pública (Escola Professor Manoel Bonifácio Costa) e da rede particular (Centro Educacional do Araripe – CEA). Após conversar com alunos de ambas realidades pode-se ver o abismo que difere alunos de ambas realidade educacionais. As preocupações e expectativas completamente diferentes e até mesmo as maneiras de se expressas e se portar ao falar do ENEM é distinta.

Na escola pública estadual, os alunos vem de uma realidade mais difícil e estão ali muitas vezes na busca por melhorias para si e para sua família. Alguns já são pais ou mães, outros já trabalham e precisam conciliar com as aulas. É perceptível a dedicação de alguns, mas o cansaço que muitos expressam somente pelo fato de estar ali também é claro. Sobre a preparação para a realização do ENEM, fica evidente que mesmo com as dificuldades que encontram pelo caminho a rede pública busca instigar e preparar o aluno dentro das suas limitações. Oferecendo aulas com conteúdo específicos voltados ao ENEM dentro do cronograma que deve ser seguido no ano letivo. A preocupação dos professores de Língua Portuguesa e Matemática, respectivamente, Jussandra Morais e Bruna Costa, em oferecer meios para que os alunos possam ter um melhor aproveitamento na realização do exame, que atualmente é uma divisa de águas para que quem ingressar numa graduação, é um diferencial que os próprios alunos fizeram questão de deixar nítido.

Sobre a expectativa para a prova e principalmente sobre vida academia no pós ENEM; na rede pública é perceptível a baixa expectativa, muitos deles já almejam o mercado de trabalho após sair do ensino médio e vem a graduação como uma segunda opção por motivos de necessidade financeira ou até mesmo por precisarem ajudar na renda de casa. O sonho da faculdade acaba se tornando algo longínquo conforme o aluno da rede pública sai da escola e se torna adulto e tem consigo a urgência em substituir sonhos por obrigações, vontades por necessidades e o curso sonhado na faculdade por uma carteira de trabalho e um serviço de baixa remuneração pelo simples fato de que as oportunidades que ele sonhou não são alcançáveis como ele imaginou ser.

Uma coisa que é muito importante observar em ambos os casos é: as oportunidades, feliz ou infelizmente, estão para ambos os alunos dos dois casos apresentados; porém, o caminho que é traçado para alcança-los até o objetivo final é que é diferente. Na rede pública, as dificuldades do aluno são muito explicitas, manter aquele aluno instigado de janeiro até dezembro, manter ele motivado e querendo ir além é possível, no entanto os obstáculos estão lá e crescem a cada nova etapa vencida. Na rede particular, essas dificuldades em alcançar o objetivo final estão lá, mas a margem da realidade do aluno, na maioria das vezes. Esses fatores tornam a caminhada mais fácil, mantém o aluno focado de janeiro a dezembro e faz ele querer ir sempre mais além.

O Araripina.com.br esteve nas escolas acima citadas com autorização de seus respectivos gestores.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.